Variedades 2 anos atrás | Thalita Monte Santo

Parteiras africanas são fotografadas em projeto da Unicef

por Revista FHOX

Recentemente, parteiras e agentes de saúde na República do Mali, Nigéria e Sudão do Sul foram fotografadas para um ensaio especial da campanha Every Child Alive, da Unicef, que traz como discurso a conscientização sobre  as taxas de mortalidade neonatal.

O projeto visa reduzir o número de recém-nascidos que morrem dentro de quatro semanas após o nascimento, e pode ser conferido aqui.

Não é a primeira vez que a Unicef utiliza do poder da fotografia para promover as suas campanhas espalhadas pelo mundo. Além de ampliar os discursos que envolvem o bem-estar e os direitos das crianças, a organização produz imagens belíssimas e inspiradoras.

Uma das mulheres retratadas nas imagens é Fatoumata Ouattara, que trabalha como “Mama Yeleen”, uma profissional especialmente treinada para acompanhar o desenvolvimento nutricional e da primeira infância de uma criança.

Fatoumata Ouattara, em uma de suas visitas (Foto: Unicef)

A rotina de Ouattara começa com visitas diárias para famílias com crianças pequenas, na vila de Baraouéli, na República Mali, África Ocidental. Ela ensina os pais sobre boas práticas para o bem-estar da mãe e dos filhos.

A “Mama Yeleen” também lidera muitas rodas para mulheres, sobre a importância das visitas de saúde pré-natal, em algumas aldeias. Ela discute assuntos relacionados ao desenvolvimento inicial do bebê e à saúde.

Roda de conversa com as mulheres para falar dos cuidados na gravidez (Foto: Unicef)

Outro país fotografado no projeto foi a Nigéria.  Nas imagens, quem aparece é a parteira Amina Shallangwa, que trabalha com o nascimento de crianças há mais de 20 anos. Ela decidiu se tornar parteira, pois um dos filhos de sua mãe morrer de óbito fetal.

Amina Shallangwa, enquanto escuta os batimentos cardíacos do bebe, no nordeste da Nigéria (Foto: Unicef)

 

Shallangwa também foi fotografada medindo um recém-nascido em uma clínica de saúde, no nordeste da Nigéria (Foto: Unicef)

No Sudão do Sul, território que possui algumas das maiores taxas de mortalidade materna e infantil no mundo, com uma em 26 crianças morrendo no prazo de 28 dias após o nascimento, as imagens foram feitas no hospital Juba Teaching.

Enfermeira atende um bebê recém-nascido, que recebe oxigênio na enfermaria neonatal (Foto: Unicef)

Lá, foram as enfermeiras, que trabalham diariamente para entregar os bebês com vida às mães, que foram registradas. Lá, especificamente, as imagens foram feitas para denunciar a falta de antibióticos, um dos principais desafios emergentes.

A parteira Helen Danies, que também trabalha no Hospital, fala com uma nova mãe na maternidade (Foto: Unicef)