Variedades 4 semanas atrás | Mozart Mesquita

O evento mais legal do Brasil

Fhox visitou a Conferência Lampião e curtiu a experiência

por Revista FHOX

Fazer um evento inovador, em um ambiente tão acirrado como o atual mercado de eventos de fotografia, não é tão difícil. Afinal, as fórmulas se repetem Brasil afora e o line up de palestrantes também. Mas é preciso ter coragem. E esse parece ser um componente que não falta a Fernando Borges e sua Conferência Lampião. Mas sobre o delicioso sopro de ar fresco da Conferência vamos falar daqui a pouco.

Antes, vale fazer uma análise do cenário atual dos eventos de fotografia comerciais no Brasil. Ou seja, excluindo os festivais e encontros de fotografia autoral, que na sua grande maioria vivem momentos difíceis, às margens da indústria e com escassez de recursos de mecenato.

No nicho de eventos comerciais, mais voltados para a fotografia social (casamento, newborn, família e etc), seguem pipocando em todos os cantos do País projetos muito parecidos, que seguem a mesma fórmula. Uma fórmula que se esgota. Temas e expositores, outros dois elementos importantes, também não fogem a regra.

Sintyque Lemos e Lorrana Melo

 

Não é muito difícil citar prováveis palestrantes e empresas que estarão presentes no próximo fotoshow de alguma cidade brasileira. Já há casos de mais de um evento por cidade. Não precisa ser na capital. O encontro também pode ser organizado por encadernadoras, isso já é mais do que uma tendência.

Com tantas atividades, há coisas boas e inevitáveis coisas ruins. A FHOX pode falar com propriedade sobre o assunto. Foi pioneira. Fez inúmeros road shows num mercado ainda com ares de faroeste e numa época em que ninguém fazia.

Consolidou seu FHOX On The Road durante os anos 2000 em um formato que seria copiado a exaustão. Dois dias de conferencia, uma mini feira com marcas que querem vender seus produtos e serviços nos intervalos. O fato é que o material que move todo esse circuito de eventos indica alguma fadiga, ainda mais num ambiente de negócios não tão saudável.

Sintyque Lemos e Lorrana Melo

 

Seria clichê dizer que há um lampião no fim do túnel. Ironia do destino que a Conferência Lampião surja em Campos Dos Goytacazes, segunda maior cidade do Rio de Janeiro e primeira do Brasil a ter energia elétrica. Pois bem, é de lá que vem as melhores notícias para o mercado de eventos de fotografia no Brasil. Algo que já havia chamado a atenção nas suas outras edições, seja pela grade de palestrantes, seja pelo local inusitado, seja pela experiência que estava clara na sua própria comunicação.

Mas só mesmo indo ver o bicho pra entender seu tamanho. E durante dois dias o que eu vi, serviu para corroborar todas as informações que havia recebido. Algo diferente está sendo feito ali. Forma, conteúdo e mensagem, são absolutamente diferentes da mesmice que tomou conta dos eventos do segmento em geral.

Com apenas uma visita não dá para ter certeza do que isso acarreta do lado de negócios em si. Mas toda a cartilha da economia criativa está sendo seguida à risca no Lampião. Público jovem e interessado. Diversidade em todos os aspectos. Num País que enveredou a direita, a Conferência Lampião se posiciona acima de ideologias de forma humanista e ambientalista, fugindo da bobagem de princípios que reina por aí.

A mistura de palestrantes vindos de diferentes matizes da produção imagética brasileira produziu um ótimo line up, composto por grandes nomes da fotografia social atual, talentos emergentes, experiências musicais, teatrais e circenses num espaço descolado, muito mais próximo de um cowork do que de um local de eventos tradicional.

LampiãoSintyque Lemos e Lorrana Melo

 

Logo na entrada, o clima que aguarda o visitante fica claro: com letrinhas de carimbo, o nome do visitante vai parar na credencial. Com espaço kids, redes espalhadas pelo ambiente, uma feira não convencional, muita fotografia exposta, comidinhas orgânicas e veganas, cerveja artesanal e muita alegria, o ambiente do Lampião está mais para os festivais de fotografia do mundo autoral do que para os eventos do mercado fotográfico, e é bom que seja assim.

“A experiência era ainda mais intensa no outro local”, explica Cristian Lima, da Go Image, uma das patrocinadoras do evento junto com a 46 Graus. Cristian se referia ao espaço dos anos anteriores: uma fabrica abandonada que dava ares ainda mais inusitados ao projeto.

FHOX não conseguiu acompanhar todas as palestras, mas as que viu foram de altíssimo nível. Com destaque para João Machado, Lucas Gobatti, Lucas Landau e Clara Sampaio. Uma entrega atípica, posicionamento, atitude e muita paixão pelo que fazem foram a tônica de praticamente tudo o que foi apresentado em termos de conteúdo.

Merece destaque também a festa na primeira noite do evento: organizadores, expositores, palestrantes e convidados não ficaram parados um único segundo, até mesmo esse humilde repórter se entregou ao funk absurdamente dançante proposto pela excelente DJ Afrolai. Uma experiência impar.

Vida longa à Conferência Lampião!