Variedades 2 anos atrás | Jucelene Oliveira

Indicações na Netflix para os apaixonados por fotografia

Para os amantes de fotografia, filmes, séries e documentários, separamos algumas indicações na Netflix

por Revista FHOX
netflixmphillips007/iStock

Na primeira metade do século XIX, a fotografia já havia sido inventada por Louis-Jacques Daguerre e Joseph Nicéphore Niepce, possibilitando esta criação revolucionária no mundo das artes e da indústria cultural: o cinema, que surgiu em 1895, na França, foi inventado pelos irmãos Louis e Auguste Lumière.

1. Tales by Light – Direção: National Geographic 

A série documental da National Geographic, adquirida recentemente pela Netflix, conta histórias de diferentes fotógrafos e seus processos criativos. Em cada episódio um profissional da área mostra, através de grandes imagens da natureza e cultura locais, todos os passos para chegar na sua imagem mais famosa. Além de paisagens de tirar maravilhosas, também podemos ver os perrengues que os profissionais passam para alcançar locais remotos e conseguir o ângulo perfeito.

2. McCullin – Direção: Jacqui Morris e David Morris

Indicado ao BAFTA  como melhor documentário, “McCullin” conta a história real do fotojornalista Donald McCullin que passou quase três décadas fotografando as principais guerras e desastres sociais ao redor do mundo. Em suas viagens pelo Chipre, Congo, Camboja, entre outros países, Donald retrata desigualdades sociais, fome, sofrimento e situações muitas vezes desconhecidas para o mundo e que se tornaram públicas à partir de suas lentes.

O documentário de 95 minutos tem narração forte, muitas vezes sob a voz do próprio artista, que conta os relatos e histórias de suas fotos mais famosas e traz também o desgaste da profissão.

>> Mais indicações na Netflix para quem é apaixonado por fotografia

3. Nascidos em Bordéis – Direção: Zana Briski e Ross Kauffman

O documentário fala sobre crianças e mulheres que sobrevivem no Distrito da Luz Vermelha, em Calcutá. A diretora, que também é fotógrafa, decide utilizar suas lentes como forma de denúncia social principalmente das condições degradantes em que prostitutas e seus filhos tem de viver.

Ao perceber a curiosidade das crianças, Zana começa a ensiná-las a fotografar, para que possam registrar o que lhes chama atenção. Enquanto os pequenos exercitam sua forma de se expressar, Briski vê nisso uma forma de lutar por condições melhores para elas, seja através dos leilões de suas imagens ou da divulgação do projeto.

4. Janela Indiscreta – Direção: Alfred Hitchcock

O filme reúne Grace Kelly e James Stewart e conta a história de Jeffries, um fotógrafo que quebra a perna durante seu trabalho e fica alguns dias de repouso obrigatório em seu apartamento. Ele começa a observar a vida dos vizinhos pela janela, até que certas coisas o fazem desconfiar de um assassinato.

5. Cidade de Deus – Direção: Fernando Meirelles e Kátia Lund

O filme brasileiro da lista apresenta a fotografia como um aspecto importante para a trama: Buscapé, personagem de Alexandre Rodrigues, sonha em ser fotógrafo e começa a registrar a periferia. Quem já assistiu o longa deve lembrar de quando ele diz “Eu cresci paradão na ideia de um dia ter uma câmera fotográfica. E como todo pobre, eu tive que começar de baixo: eu consegui comprar a câmera mais vagabunda do mundo”. O personagem nos mostra algo bem importante para quem quer começar: a fotografia pode ser uma realidade para todos, basta tentar e treinar o seu olhar!