Variedades 2 semanas atrás | Flávio A. Priori

Fotos sobrevivem mais de um ano em pendrive achado em cocô de foca

Achado foi feito por instituto de pesquisas da Nova Zelândia, que estudava dejetos congelados de focas da região.

por Revista FHOX

Um grupo de cientistas do Instituto Nacional de Pesquisas sobre Água e Atmosfera da Nova Zelândia (NIWA) encontrou um artefato um tanto quanto curioso em um local totalmente improvável. Trabalhando no material de pesquisa, eles acharam um pendrive no meio de fezes congeladas de Foca-leopardo. Sim, de fato isso soa tão estranho quanto parece. E o mais incrível é que o aparelho estava funcionando.

Um dos trabalhos do instituto é recolher dejetos das focas para estudar a dieta dos animais. Essa amostra em específico foi coletada em Oreti Beach em novembro de 2017 e então congelada para análise futura. Em janeiro essas fezes foram descongeladas e para surpresa de todos, havia um pendrive no meio delas.

pendrive

Como qualquer pessoa nessa situação, o pessoal do instituto foi ver o dispositivo ainda funcionava. E a resposta foi positiva. O pendrive continha diversas fotos e vídeos tirados na Baía de Porpoise, cerca de 96km de onde a amostra de fezes foi coletada.

Todos os arquivos de imagem eram de paisagens e animais, então não foi possível identificar de quem seria aquele material. Para tanto o NIWA postou um vídeo que estava no pendrive de uma pessoa em um caiaque.

Claro que uma história desse naipe se espalhou rapidamente e em pouco tempo a proprietária do pendrive foi localizada. Seu nome é Amanda Nally, uma fotografa da região que tem por hábito estudar as focas da região. De acordo com os cientistas, o dispositivo não deu “sorte” de cair em lugar errado, mas foi de fato engolido e digerido por um animal.

Algumas lições ficam dessa história. A mais importante claro é ver como sujeira jogada na natureza impacta diretamente na vida de animais. A outra é que aquelas suas fotos guardadas naquele pendrive todo surrado talvez ainda tenham salvação.