Variedades 3 anos atrás | Redação

Fotografia ilustra a situação degradante dos oceanos

Cavalo-marinho é flagrado flutuando com um cotonete na costa de Bornéu, ilha localizada na Ásia

por Revista FHOX

Durante uma expedição à ilha de Bornéu, o fotógrafo naturalista Justin Hofman flagrou um retrato que ilustra as ameaças enfrentadas pela fauna marinha e também pelos oceanos de todo o mundo: a poluição. Um grupo resolveu mergulhar com snorkel na costa da cidade de Sumbawa Besar, e observou um cavalo-marinho, agarrado a galhos e ramos de plantas. Pouco tempo depois a maré mudou e trouxe pedaços de plástico e outros dejetos. Sem opções, o pequeno animal se agarrou a um cotonete.

It’s a photo that I wish didn’t exist but now that it does I want everyone to see it. What started as an opportunity to photograph a cute little sea horse turned into one of frustration and sadness as the incoming tide brought with it countless pieces of trash and sewage. This sea horse drifts long with the trash day in and day out as it rides the currents that flow along the Indonesian archipelago. This photo serves as an allegory for the current and future state of our oceans. What sort of future are we creating? How can your actions shape our planet?
.
thanks to @eyosexpeditions for getting me there and to @nhm_wpy and @sea_legacy for getting this photo in front of as many eyes as possible. Go to @sea_legacy to see how you can make a difference. . #plastic #seahorse #wpy53 #wildlifephotography #conservation @nhm_wpy @noaadebris #switchthestick

A post shared by Justin Hofman (@justinhofman) on

“Essa é uma foto que eu gostaria que não existisse, mas ela existe e eu quero que todos a vejam. O que começou como uma oportunidade de fotografar um lindo cavalo-marinho, se tornou em frustração e tristeza com a maré trazendo incontáveis pedaços de lixo e esgoto. Este cavalo-marinho nada diariamente cercado pelo lixo enquanto é levado pelas correntes que fluem ao longo do arquipélago indonésio. Esta foto serve de alegoria para o estado atual e futuro dos nossos oceanos. Que tipo de futuro estamos criando? Como nossas ações moldam o nosso planeta?”, escreveu o fotógrafo em seu Instagram.

Os cavalos-marinhos são carregados pelas correntes oceânicas agarrando pequenos objetos flutuantes com a cauda. Normalmente, são galhos e ramos de árvores, mas o lixo e a poluição têm alterado este comportamento. De acordo com um estudo recente, todos os anos cerca de 8 milhões de toneladas de plástico são jogados nos mares. Se este ritmo for mantido, em 2050 os plásticos ultrapassarão a população de animais marinhos em termos de peso.

A fotografia, linda e chocante, foi selecionada como finalista do concurso Wildlife Photographer of the Year, promovido pelo Museu de História Natural do Reino Unido.