Variedades 10 meses atrás | Thalita Monte Santo

Conheça a holandesa Alice de Kruijs e sua fotografia conceitual

por Revista FHOX

A fotógrafa holandesa Alice de Kruijs, 36, encontrou uma maneira artística e conceitual para falar sobre a relação do ser humano com o lixo e o meio ambiente.Em sua série Les Temps Modernes, ela sincroniza a interação das pessoas com os “restos” deixados para trás nas águas, florestas e desertos.

“Aproximadamente há um ano aconteceram vários debates políticos na Holanda. Fiquei frustrada pelo fato de que assuntos sobre o nosso planeta, como poluição e mudanças climáticas não eram citados”, conta ela em entrevista exclusiva para a FHOX.

Nas imagens da série, Alice faz o convite para a reflexão sobre a manipulação dos alimentos que comemos, a maneira como tratamos os animais antes do abate, o uso de produtos químicos, o uso do plástico e outros lixos que descartamos. “Espero inspirar as pessoas a pensar sobre o conceito por trás das fotos que observam”, explica a fotógrafa.

Para ela, a preservação do meio ambiente é um dos valores mais importantes que existem. “Sem a natureza, simplesmente não há vida. A necessidade obsessiva de controlar tudo pelos governos está realmente distorcendo nosso meio ambiente e o modo de vida natural.”

Atualmente, Alice mora em Arnhem, na Holanda. Mas está planejando trabalhar e viver na Etiópia, África, durante o inverno, e retornar para o país de origem durante o verão. Sua relação com a fotografia vem desde que era muito nova. Aos 14 anos comprou sua primeira câmera analógica com a ajuda do pai e depois disso nunca mais deixou de registrar as coisas que via.

“Comecei a explorar o mundo com a minha câmera. Adorava viajar e fazer imagens. Mas, eu sempre tive a sensação de querer fazer algo a mais com a fotografia. Cinco anos atrás, decidi participar de uma formação em fotografia e foi lá que fui apresentada à fotografia conceitual e fine art.”, explica.

Hoje, Alice é fotógrafa autônoma e ela mesma comercializa suas imagens através de empresas de arte. “Adoro trabalhar em projetos excitantes, onde minha mente criativa e minha narrativa visual podem ser expressas”, conta.

Sobre seu método de criação, a holandesa explica que muitas vezes rascunha e anota conceitos, e depois começa a pensar no fluxo de trabalho visual. “Penso em como fotografar, se devo usar o estúdio, com quais modelos eu quero trabalhar, quais cores, composições e vibrações”.

Ela considera seu trabalho uma celebração de diferentes misturas. “Eu acredito que toda cultura, religião, gênero e raça é bonita e totalmente igual um para o outro”, explica.

Sobre novos projetos, a fotógrafa diz que neste mês começa mais um trabalho, intitulado de The Spiritual Dancers of Burkina Faso. (Os dançarinos espirituais de Burkina Faso).

“Para este projeto, tenho a grande oportunidade de trabalhar com o Museu da África na Holanda. Eles me deram a oportunidade de fotografar uma seleção de objetos de sua coleção inspiradora. Esta série será concluída entre a metade e o final de abril”, finaliza.

Modelos: Veronique Efomi, Xueli Abbing, Lincy Maatman.

Conheça mais sobre o trabalho de Alice:

Sitewww.alicedekruijs.com | Instagram@alicedekruijsofficial | 

FacebookAlice de Kruijs Photography