Wedding 5 meses atrás | Thalita Monte Santo

Wedding Best: O Igbeyawo de Adeoyá e Torikola

Conheça Rafael Karelisky, vencedor do 8º Prêmio Wedding Best - O Álbum

por Revista FHOX

Foi com as imagens da união de Adriana Adeoyá e Fernando Torikola que o fotógrafo Rafael Karelisky venceu, pela terceira vez, o Prêmio Wedding Best o Álbum, realizado em abril pela FHOX e Fotolab Álbuns, com o patrocínio da Fujifilm. A cerimônia, que foge do que a premiação está acostumada a receber, se destacou por conta da originalidade, representatividade e emoção.

O Igbeyawo, casamento no candomblé, de Adeoyá e Torikola, foi realizado em 2018 no Jardim Eldorado, em Diadema, São Paulo. As imagens do álbum fazem parte de um projeto pessoal do fotógrafo, onde ele registra cerimônias gratuitamente como forma de retribuição a tudo o que a fotografia lhe traz.

Rafael Karelisky

 

“Eu comecei o projeto faz algum tempo. Nos finais de semana que estou mais tranquilo, quando tenho menos casamentos e em épocas do ano com menor volume, gosto de fazer trabalhos para outras pessoas de forma gratuita. Não é trabalho voluntário, é uma forma de devolver um pouco tudo que a fotografia me proporciona.

Devolver para outras pessoas que às vezes não teriam condições de me contratar ou não estão acostumadas com esse tipo de trabalho”, conta. Segundo Karelisky, pelo que percebeu, a união religiosa no candomblé não é muito fotografada.

O fotógrafo explica que gosta de estudar e conhecer diversas religiões como uma experiência de vida, mas que nunca tinha ido a um terreiro de candomblé antes do casamento. Seu encontro com o casal se deu por acaso, ele não os conhecia. Seu assistente é colega do noivo e falou sobre o matrimônio para ele.

“E são experiências que eu só passo porque eu estou com uma câmera na mão. É uma forma de conhecer o mundo e outras coisas que só a fotografia pode me dar, sabe? Sou muito grato à fotografia por isso. Por isso procuro uma forma de devolver isso para outras pessoas”, diz.

Rafael Karelisky

 

Para o fotógrafo, o que toda cerimônia exige dele, seja um casamento católico, evangélico ou não, é que esteja aberto a viver o novo e se permitir presenciar tudo com as pessoas que estão à sua volta. Talvez esse seja o segredo do álbum vencedor.

“A preparação que ela [a cerimônia] demanda de mim é que eu vá aberto a experienciar e viver com aquelas pessoas aquele dia do jeito que eles forem. Não tem nenhuma conversa especial antes. O que eu preciso é que as pessoas estejam a fim de me receber, e que eu esteja também a fim de viver com eles”, explica.

Rafael Karelisky

 

Ele não usa nada de iluminação ou algum equipamento especial. O que faz é mergulhar profundamente na história do casal. “Sou eu, uma câmera e coisas acontecendo e eu vivendo isso
com eles. Estar ali, viver com os noivos e fazer parte do que está acontecendo.”

As imagens do Igbeyawo foram feitas com uma Fujifilm X-Pro2 e lente 18mm F2. “Cerca de 90%
das minhas fotos são feitas com esse setup de equipamento. Raríssimas vezes vou ligar uma luz, um flash, afins, não faz muito meu estilo. Basicamente é isso, uma câmera, uma lente, olhos e coração abertos para contar aquela história de forma mais significativa e real possível”.

Rafael Karelisky

 

Para o fotógrafo, ter seu terceiro álbum de casamento escolhido como o melhor do Brasil significa muito, pois ele resolveu sair do tradicional e do que já vinha fazendo nos anos anteriores.

“Resolvi quebrar o meu paradigma, me desafiar e fazer algo diferente. Quando eu lembrei do Igbeyawo pensei: com aquele casamento eu consigo trabalhar dentro de uma coisa que diz respeito ao Rafael de 2019. E que bom que o rafael de 2019 é muito diferente do Rafael de 2014 e 2015, é maravilhoso”, conta.

Karelisky afirma que dos anos anteriores para cá vê uma mudança ampla no que estava fazendo. “É uma versão mais madura minha e, mais verdadeira comigo mesmo. Eu tenho um baita orgulho. Estou feliz demais”, finaliza.

Rafael KareliskyRafael Karelisky

 

Leia também: ÁLBUM: PRÊMIO WEDDING BEST 2019 – ADEOYA E TORIKOLA