Wedding 2 anos atrás | Colaboradores

Minha experiência com casais e culturas diferentes

O fotógrafo de casamento e ensaios íntimos, Gustavo Franco, conta sobre sua experiência em fotografar em várias partes do mundo.

por Revista FHOX

Gustavo Franco começou a fotografar em 2010. Atualmente fotografa casamentos e tem uma média de 15 a 20 “elopements wedding” ou casamentos íntimos por temporada. Ele é atração da Fotografar 2018 e teve um artigo publicado na edição 191 de Fhox na editoria Casamentos.
Conheça mais do trabalho dele em: www.gustavofrancofotografia.com.br.

Texto por Gustavo FrancoGustavo Franco. (Foto: Franci Tosetto)

Diferentes tipos de artistas me ajudaram na formação do fotógrafo que hoje sou. Acabei criando uma consciência artística que jamais imaginei que seria tão forte. Fotografo em qualquer lugar e qualquer tipo de casal. A única coisa que importa para mim é que primeiro o casal entenda o tipo de fotógrafo que sou; segundo, que ame minha fotografia. Quero saber o que se passa com eles, quais são seus pensamentos nesse momento da vida, para transferir essa mensagem para a fotografia.

Já tive a oportunidade de fotografar diferentes casais, em diversas partes do mundo. Como fotógrafo, já conheci alguns países e cidades. Fotografei nas cidades de Étretat e Mont Saint Michel na França; Phranang Beach, Chiang Mai na Tailândia e também na capital, Bangkok; tive a oportunidade de conhecer Vigo e Ibiza na Espanha e Ferrara na Itália, além de outras. No Brasil, Jericoacoara foi um cenário inesquecível. Tudo isso me proporcionou aprender com diferentes culturas e lugares.
Gustavo Franco Fotografia

Gustavo Franco Fotografia
Gustavo Franco Fotografia
Gustavo Franco Fotografia
Gustavo Franco Fotografia

A paleta de cor da arquitetura e do tratamento, por exemplo, são das coisas mais importantes que percebi com o tempo. É passar horas olhando como funcionam realmente as principais cores das ruas, e como fotografar nesses locais.

É claro que as coisas nunca vão acontecer exatamente como a gente planeja. Há turistas e vendedores em todos os lugares, sol rachando, frio insuportável, problemas com comida ou 30 horas de viagem que podem ser bem cansativas. Mas é muito importante entender que o casal vai confiar em você para passar muitas horas juntos, viajando, comendo, esperando liberações etc.

A me ver, levar menos equipamentos na mala sempre será melhor, embora algumas coisas sempre devam estar nela. A experiência diz que se for preciso sair às três da manhã em Bangkok para comprar fita isolante ou achar uma bateria Canon, realmente o fotógrafo poderá estar em um sério problema.

“A luz é diferente em várias partes do mundo. Ela muda totalmente o modo como se deve fotografar e editar as imagens.”

Gustavo Franco Fotografia
Gustavo Franco Fotografia
Gustavo Franco Fotografia
Gustavo Franco Fotografia

Perceber as diferentes formas em que a luz toca e se dissipa foi algo que me ajudou a ver como realmente iluminar. Várias coisas que eu não dava muito valor no início, como rebatedores ou filtros, me ajudaram a melhorar minha fotografia, evitando que eu passasse horas e horas no tratamento pós-produção.

Estarei na Fotografar 2018 e pretendo focar em como esse planejamento é muito mais importante que qualquer preset que será usado nas fotos. Falarei das expectativas do cliente e como fazer para que o casal te ame e queira viajar para sempre com você.