Fotojornalismo 4 anos atrás | Redação

Há 108 anos nascia Henri Cartier-Bresson: o gênio do instante decisivo

"Fotografar é colocar na mesma linha, a cabeça, o olho e o coração", Henri Cartier-Bresson

por Revista FHOX
França. Paris. Fotógrafo francês, Henri CARTIER-BRESSON. 1992©Martine Franck/Magnum Photos
França. Paris. Fotógrafo francês, Henri CARTIER-BRESSON. 1992

 

Henri Cartier-Bresson foi um dos fotógrafos mais expressivos do século XX, intitulado por muitos profissionais como o pai do fotojornalismo. Bresson nasceu na cidade de Chanteloup, no distrito de Seine-et-Marne, na França, no dia 22 de agosto de 1908. Ainda menino, Bresson foi presenteado com uma máquina fotográfica modelo Box Brownie. Ele mal sabia que este presente transformaria os caminhos da sua vida profissional e a história da fotografia mundial.

Inspirações

Inspirado pelo trabalho fotográfico do húngaro André Kertész, Bresson se destacou no jornalismo, contudo, se tornou famoso retratando eventos do dia a dia, no período de 1930 a 1960.

Agência Magnum

Em 1947, ao final da Segunda Guerra Mundial, Bresson criou a famosa agência fotográfica Magnum, em parceria com Bill Vandivert, Robert Capa, George Rodger e David Seymour. Imagens icônicas produzidas pela Magnum foram publicadas nas célebres revistas Life, Vogue e Harper’s Bazaar.

>> Agência Magnum celebra 70 anos de história com a venda de fotos famosas
>> Concurso Magnum e LensCulture divulga as fotos premiadas

As imagens ao redor do mundo

Bresson passou por diversos lugares do mundo, continente europeu, América do Norte, Índia, China, Indonésia entre outros locais. Ele registrou imagens da morte de Gandhi, conflitos em nome da independência na Indonésia, décimo aniversário da Revolução Popular Chinesa entre outras imagens marcantes da história mundial.

Bresson, o desenhista

O ano de 1974 foi dedicado ao desenho. Bresson passou a desenhar a lápis e a carvão. Apesar de toda atenção aos desenhos, eles não chegaram a ter o caráter “instantâneo” de suas fotos.

O legado

Ele sempre “trajava” uma Leica, modelo antigo, com objetiva de 50mm e filmes p&b. No ano de 2000 foi criada uma fundação que leva seu nome. Henri Cartier-Bresson morreu no dia 2 de agosto de 2004, aos 95 anos, na Provença, na França.

Veja abaixo fotos de Henri Cartier-Bresson: