Fotojornalismo 3 anos atrás | Diogo Amorim

Mário Cruz fotografa trabalho escravo infantil no Senegal e é premiado no World Press Photo

Com suas lentes sensíveis ao local, o fotógrafo lança um livro sobre sua experiência com as crianças e muda a perspectiva do fotojornalismo no mundo

por Revista FHOX

O fotógrafo português foi ao Senegal para explorar o universo dos talibés, crianças que são entregues por sua própria família a instituições escolares chamadas daaras, cujos professores são responsáveis pela educação e formação do indivíduo. Ultimamente, o sistema escolar do local vem pervertendo a linha educacional e explorando os pequenos que ali habitam.

Mário Cruz, ao apontar suas lentes ao trabalho escravo, acabou viabilizando a ação por parte de algumas instituições humanitárias que suspeitavam de tal ato, mas que não tinham provas das atrocidades realizadas lá. A partir dos retratos do autor foi possível perceber as condições precárias que são submetidas e os maus tratos físicos visíveis. O fotógrafo conta ainda que viu crianças serem açoitadas no próprio ambiente escolar.

Há milhares de talibés sofrendo por abusos no Senegal, alguns tentaram fugir, uns conseguiram, outros morreram no caminho. Mário, em sua obra Talibes – Modern Day Slaves, ganhou o prêmio de fotografia com maior visibilidade mundial, mostrou ao mundo uma realidade obscura e erroneamente secreta e deu aos talibés a oportunidade de sonhar com uma infância sem exploração.