Esportes 1 ano atrás | Colaboradores

Unindo duas paixões: a fotografia e o rugby

A fotografia é apaixonante e poderosa. Por meio dela, podemos congelar momentos, viajar no tempo, contar histórias e criar conexões.

por Revista FHOX

Susi Baxter-Seitz é uma brasileira casada com um inglês e ex-jogador de rugby. Ela vive em Curitiba e faz fotos “amadoras” incríveis do esporte que mais ama. Fotógrafa de casal e família, eventualmente faz alguns casamentos. É formada em Design pela Mediendesign Akademie de Munique e fez estágios em laboratório de fotografia nos Estados Unidos e em agência de fotógrafos na Alemanha, além do curso de fotografia na London School of Photography, em Londres.

Autorretrato. (Foto: Susi Baxter-Seitz)

Texto e fotos por Susi Baxter-Seitz

Quando você pergunta a um fotógrafo por que ele escolheu a fotografia como profissão, a resposta mais comum é “porque amo fotografia”. E é isso mesmo. A fotografia é apaixonante e poderosa. Por meio dela, podemos congelar momentos, viajar no tempo, contar histórias e criar conexões.

Tenho o privilégio de poder unir duas das minhas paixões: a fotografia e o rugby. O esporte entrou na minha vida por causa do Keith, meu marido, inglês e ex-jogador. Ao contrário do que algumas pessoas podem pensar, apesar do contato físico e uso da força, o rugby é um esporte que cultiva muitos valores, como respeito, união e integridade. É só observar como os jogadores se comportam em campo durante uma partida em relação à arbitragem, por exemplo, para entender como isso funciona.

Foto: Susi Baxter-Seitz

Foto: Susi Baxter-Seitz
Foto: Susi Baxter-Seitz

Não me considero uma fotógrafa esportiva, mas sou fotógrafa do Curitiba Rugby Clube (CRC). Fotógrafa amadora, não por fazer meu trabalho sem profissionalismo, mas por fazer por amor, e de forma voluntária. Comecei levando a câmera e uma lente básica para os jogos em Curitiba e hoje, sempre que possível, viajo com os times para competições nacionais e estaduais, registro os eventos do Vivendo o Rugby (VOR) – um projeto social muito bacana do CRC – e faço retratos dos atletas, tanto das equipes principais quanto das juvenis.

Durante os jogos utilizo um equipamento relativamente modesto para os padrões da fotografia esportiva: uma Nikon D800 e uma lente f/70-200 mm. Pode ser um pouco limitante, mas tento me adaptar ao que tenho e contar a história dos jogos dessa maneira. As fotos são cedidas de forma gratuita aos jogadores e algumas federações e clubes compartilham o material em suas redes sociais. Já tive a oportunidade de viajar com a equipe para Niterói, Cachoeiras de Macacu, São Paulo, São José dos Campos, Florianópolis, Bento Gonçalves e Londrina. Sempre de ônibus.

Foto: Susi Baxter-Seitz
Foto: Susi Baxter-Seitz
Foto: Susi Baxter-Seitz

Mas o mais legal é ver o poder que a fotografia tem de aumentar o vínculo entre o atleta e o esporte, e entre o atleta e o seu clube, principalmente com atletas mais jovens. É recompensador ver os compartilhamentos das fotos nas mídias sociais com as legendas “Rugby minha paixão” e “Curitiba, meu clube”, demonstrando todo o orgulho que eles sentem em fazer parte desta grande família. Para muitos jovens do projeto social, meninos e meninas, o rugby oferece a estrutura familiar que lhes carecem, o exemplo da figura paterna no treinador e a chance de ingressarem em uma universidade. Por esse esporte, eles aprendem que, com muita dedicação, empenho e trabalho em equipe, podem ir mais longe.

E vou com eles, encarando as viagens de ônibus de até 16 horas, as noites mal dormidas e as experiências bem vividas, registrando os momentos dentro e fora de campo, compartilhando com eles as vitórias e as derrotas. Amo fotografar, amo o rugby e, lógico, amo fotografar rugby. Acho que no fundo é isso que me faz uma fotógrafa de rugby amadora, literalmente.

Para conferir mais fotos, confira nossa galeria.

Para conhecer mais de seu trabalho, acesse as redes sociais:
Instagram @susi_baxterseitz e @rugbysooz
Facebook https://www.facebook.com/susiseitzphotography/
Website: susiseitz.com