Participe do SIM. Semana do Imaginário Materno!


Uma experiência única

Atividade inédita reunindo dois talentosos fotógrafos com pegadas distintas tem tudo para virar um case de sucesso no rol de workshops de fotografia brasileiros

Fotos: Alexandre Suplicy e alunos do workshop

Uma ilha deserta num dos litorais mais lindos do mundo. Uma paisagem deslumbrante com produção impecável e, incansável. Um fotografo de sucesso na fotografia de paisagens e natureza, Alexandre Suplicy e outro premiadíssimo com sua trajetória dedicada a documentação do universo da saude e da cura, André François, da ImageMagica. FHOX foi convidada a acompanhar a primeira turma desse projeto que pelo visto vai atrair muita gente bacana para suas atividades. Veja abaixo um relato de como tudo se passou. 

Por Mozart Mesquita

Eu, e meu irmão e sócio,  Leo Saldanha, nos sentimos honrados com o convite. Embora Leo não tenha podido ir, eu aceitei de pronto e por estar morando já há um ano no litoral de SP, não foi difícil me organizar para participar. Adorei a proposta de acampar em uma ilha deserta, com toda a parte logística de alimentação resolvida. Conheço tanto Andre quanto o Ale Suplicy há algum tempo, acompanho o trabalho deles, principalmente do Andre, com muita admiração. A ideia que tiveram é barbara: reunir suas habilidades distintas num programa ao ar livre que no fundo enseja um mergulho no universo da fotografia. Com zero arrogância, muita paciência e enorme generosidade, além de uma surpreendente sinergia entre os dois e suas diferentes abordagens para a pratica fotográfica, tanto na técnica, quanto no posicionamento como profissional de mercado. Enquanto Ale Suplicy, está mais próximo da fotografia na parede e atua no campo de trabalhos comissionados que podem ser desenhados por ele para marcas e empresas, André François, junto com sua fiel escudeira Paula Poleto, alçou sua empresa, a ImagemMágica a um dos projetos mais bonitos do Brasil e talvez do mundo na documentação da saúde, da cura e do universo da medicina no Brasil e no exterior. Um mais cor e paisagem, outro mais P&B e retratos. A somatória dessas experiências num programa educacional muito bem montado, com uma ilha paradisíaca e de fácil na costa paulistana, mas que também pode ser um sitio nas montanhas do Estado, prometem ser um case de sucesso no campo educacional da fotografia brasileira. Talvez uma das principais razões para isso esteja na somatória de tudo que já comentei com o principal: entrega verdadeira de conteúdo e generosidade na troca com os alunos. Optei por não fotografar além de snapshots com meu celular e efetivamente acompanhar os seis alunos participantes em suas jornadas. O que percebi foi aprendizes que tinham acesso total aos professores, que foram auxiliados por equipe de produção impecável. Os comentários dos alunos foram unânimes: uma experiência incrível, que todos, não tenho duvida, recomendariam. Vejam, falo com a experiência de mais de 30 anos de atuação nesse mercado, isso não é a regra, mas sim a exceção. Com o boom de WS, cursos e congressos do mercado fotográfico, o que não faltam são cursos vazios, egóicos e sem entrega real, pipocando por ai. Definitivamente, esse não ´o caso da proposta do André e do Alexandre. Importante frisar que o conteúdo programático está bem conceituado, apesar de ter sido uma estréia. Um encontro prévio pelo zoom, para troca de informações e tirar duvidas. Um check-list muito bem elaborado pela produção de tudo o que cada participante deveria levar para a aventura. Um bate papo inicial na chegada, e imersão profunda na pratica, intercalando com discussões densas com os professores e entre os alunos. Vale ressaltar o jogo de cintura da produção (menção fundamental a querida Andreza, escuderia da Paula) e dos professores para lidar com um final de semana chuvoso. A escolha da locação, em tempos de pandemia, com todo mundo testado antes de chegar, foi muito feliz. A Ilha das Couves que eu não conhecia é belíssima e perfeita para tal atividade. Se tivesse que dar uma nota para a experiencia seria 10 com louvor. A FHOX não só apoia a iniciativa como espera poder participar mais ativamente dos próximos, preparando algum conteúdo voltado para o lado empreendedor. Importante citar o golpe de sorte do Alexandre, do André e da Paula: difícil imaginar uma turma melhor para inaugurar o projeto. Marcelo, Karina, Andreza, as duas Danielas, e João, que saiu de Uberaba, encarando 8 horas e viagem, formaram um grupo perfeito, que foi fechado pela presença de Roni, irmão do Alexandre e responsável pela documentação videográfica impecável de toda a ação (em breve vamos mostrar seu trabalho em outro post). Interessados, inteligentes, coesos, generosos e dedicados, alunos e produção, formaram o que se pode chamar de um grupo perfeito. Muito difícil imaginar que vá ser sempre assim. Mas fica a torcida para que sim. Vida longa a esse projeto lindo desenhado por grandes feras da nossa fotografia. A pratica foi intensa e constante em todo o fim de semana, abaixo você pode apreciar fotos feitas oriundas da organização, algumas minhas e a dos próprios alunos. Se você quiser um conselho, #ficaadica, não perca uma próxima edição, vai valer cada centavo investido!

Ale Suplicy
Ale Suplicy
Ale Suplicy
Ale Suplicy

Fotos da Aluna Andreza Magalhães

Fotos do aluno Daniel Feltrin

Fotos da aluna Dani Leon

Fotos do aluno João Venceslau

Fotos da aluna Karina Ammar

Fotos do aluno Marcelo Gianella