Conheça o ImageCon - Conferência do Imaginário

Três habilidades fundamentais do fotógrafo bem sucedido

(enviado via Você na FHOX

O trabalho de um fotógrafo vai muito além das técnicas que permitem controlar diafragma, obturador, foco, e tantos outros elementos que permitem ao profissional tirar a foto perfeita. Pouco é falado sobre o tema, e aprende-se mais com a vivência do que em livros, mas ser um profissional que trabalha com fotografia exige habilidades que, particularmente, considero ainda mais importantes que o conhecimento técnico: inteligência emocional e autoconfiança.

Saiba mais sobre essas habilidades a seguir!

[media-credit name=”Foto: Guilherme Antunes” align=”alignleft” width=”1000″][/media-credit]

Inteligência emocional

A inteligência emocional é a habilidade que permite a uma pessoa identificar, entender e administrar as próprias emoções e as emoções dos outros. Para nós fotógrafos, que trabalhamos muito proximamente a pessoas e, principalmente, em situações em que as emoções são latentes, ter essa técnica é algo essencial.

Imagine um fotógrafo de casamentos que se deixe levar pela emoção de noivos, familiares e convidados em uma ocasião importante como, por exemplo, a entrada da noiva na igreja. Certamente o ambiente estará tomado por emoção e, se o fotógrafo não souber administrar suas próprias emoções, ele não estará focado o suficiente para tirar as fotografias daquele momento com a qualidade necessária.

Além disso, essa habilidade permite que o fotógrafo não deixe que os problemas pessoais  ou mesmo profissionais interfiram no trabalho. O trabalho de um fotógrafo é feito sob pressão, com a responsabilidade de capturar o momento perfeito, que não voltará jamais.

Ou seja, é preciso estar altamente focado, pois não há chances para refazer aquele instante. Além disso, estamos lidando com o sonhos das pessoas, o maior e mais valioso bem que alguém pode ter. A responsabilidade é muito grande, o que pode ser um problema para um fotógrafo que não tem uma mente preparada para lidar com esse peso.

Fotografia de Casamento Fernanda e Charles
[/media-credit] Casamento de Fernanda e Charles
Autoconfiança

A autoconfiança é a união da autoestima com a auto eficácia. Ou seja, ter uma atitude autoconfiante não significa ser egocêntrico, mas sim ter segurança de que é capaz de realizar algo, e realizar com eficácia. Essa atitude não precisa, necessariamente, ser transparecida para os outros. Ela importa muito mais para si mesmo.

A autoconfiança aliada à inteligência emocional nos dá poder para traçar melhor nossos objetivos e saber onde se quer chegar. É comum que no ramo da fotografia as carreiras aconteçam quase que por acaso. A grande maioria dos fotógrafos sequer tem formação superior na área e isso interfere, inclusive, no profissionalismo do serviço prestado.

São poucos os fotógrafos que têm uma carreira direcionada, que saibam trabalhar o marketing pessoal e ajam como verdadeiros empresários. Tendo uma atitude autoconfiante é possível realizar de forma mais efetiva o exercício de planejar sua carreira. Tendo objetivos mais claros é mais fácil tomar atitudes que nos levem a conquistar nossos sonhos.

Eu disse anteriormente que a autoconfiança não precisa ser exibida para quem está ao nosso redor, ao custo de parecermos egocêntricos. Porém, quando essa autoconfiança é genuína, ela e naturalmente notada por clientes e parceiros e é uma ótima referência para um profissional. Quando somos autoconfiantes, a tendência é que os demais também tenham mais confiança em nosso trabalho.

Fotografia de Casamento Fernanda e Charles
[/media-credit] Casamento de Fernanda e Charles
Atitude positiva

Tanto a inteligência emocional quanto a autoconfiança estão intimamente conectadas a uma atitude positiva, que faço questão de aplicar sempre e cada vez mais. É incrível como problemas são menores ou maiores dependendo apenas da importância que damos a eles.

Uma atitude positiva pode ser cultivada quando nos abrimos à tentativa antes de rejeitar uma situação. Por exemplo, se um fotógrafo se depara com um problema no equipamento enquanto fotografa uma sessão, a atitude positiva o levará para o caminho de manter a calma e tentar solucionar o problema ou tentar outra alternativa, ao invés de simplesmente cancelar o ensaio.

Também faz parte da atitude positiva não se comparar com outros profissionais. Admirar e se inspirar em outros fotógrafos pode ser legal, mas não de uma forma que essa admiração se torne uma pressão para alcançar os mesmos objetivos que o colega. Ter uma atitude positiva é entender que seu caminho é único e, por isso, deve ser trilhado da forma mais prazerosa possível.

Tendo essas habilidades em mente e, mais ainda, as praticando, é muito mais fácil obter o sucesso profissional, principalmente quando entendemos que o sucesso não significa prêmios, dinheiro e reconhecimento, mas a pura e simples felicidade em fazer o que se ama.


 

Guiilherme Antunes é fotógrafo de casamento e contador de histórias em Florianópolis. Veja mais no site.

Participe também do “Você na FHOX”!