News 4 anos atrás | Diogo Amorim

Sebastião Salgado reitera proposta de recuperação do Vale do Rio Doce após desastre das barragens no município de Mariana

Salgado realiza trabalhos ambientais na região desde 1998

por Revista FHOX
Sebastião Salgado e Lélia Deluiz Wanick Salgado. O fotógrafo é natural de Aimorés, município de Minas Gerais, localidade próxima ao desastre. Créditos: Ricardo Beliel.
Sebastião Salgado e Lélia Deluiz Wanick Salgado. O fotógrafo é natural de Aimorés, município de Minas Gerais, localidade próxima ao desastre. Créditos: Ricardo Beliel.

Com informações de Rede Brasil Atual

O fotógrafo Sebastião Salgado conversou na última sexta-feira (13) com a presidenta Dilma
Rousseff sobre proposta para a revitalização do Rio Doce empregando ferramentas do projeto
Olhos D’Água, que tem como objetivo cuidar das nascentes.

Coordenado pelo Instituto Terra, fundado por Salgado, o projeto prevê a recuperação do
ecossistema, a produção de mudas de Mata Atlântica, extensão ambiental e pesquisa científica
aplicada na região do Vale do Rio Doce, onde ocorrem diversas denúncias de desmatamento e
uso desordenado dos recursos naturais.

Após o desastre no Rio Doce foram constatados alterações na qualidade da água que abastece municípios dos estados de Minas Gerais e Espirito Santo. A catástrofe deixou sete pessoas
mortas, dezenas de feridos e número ainda desconhecido de desaparecidos.

Instituto Terra

O Instituto Terra é fruto da iniciativa do casal, Lélia Deluiz Wanick Salgado e Sebastião Salgado,
que há pouco mais de uma década, diante de um cenário de degradação ambiental em que se
encontrava a antiga fazenda de gado adquirida da família de Sebastião Salgado, na cidade
mineira de Aimorés, tomou uma decisão: devolver à natureza o que décadas de degradação
ambiental destruiu. Mobilizaram parceiros, captaram recursos e fundaram, em abril de 1998, a
organização ambiental dedicada ao desenvolvimento sustentável do Vale do Rio Doce.