Participe do SIM. Semana do Imaginário Materno!

Reverse Selfie: os efeitos dos filtros e apps de retoques para meninas

Pesquisa do projeto Dove Pela Autoestima mostra os impactos de padrões irreais para adolescentes brasileiras e do mundo todo. E as redes sociais e os apps de edição de imagem contribuem negativamente nesse sentido

Iniciativa da Dove (Unilever), o filme Reverse Selfie é um alerta para os efeitos nocivos dos aplicativos de retoque e da era dos filtros impactando na saúde mental de jovens meninas. Algo que faz que adolescentes distorçam a própria imagem e que acaba influenciando na autoestima. Como isso pode afetar o futuro das jovens? Com a pandemia e o aumento no uso das telas esse problema pode ter aumentado inclusive. Expondo questões importantes sobre a pressão quanto ideias de beleza e estética irreais. O projeto Dove pela Autoestima traz uma pesquisa com dados impressionantes:

  • 80% das meninas com até 13 anos usam apps de retoques no mundo todo.
  • No Brasil esse número é ainda mais representando 84% das adolescentes com 13 anos já aplicaram um filtro ou usaram um aplicativo para mudar sua imagem em suas fotos
  • 78% delas tentam mudar ou ocultar pelo menos uma parte ou característica do corpo que não gostam antes de postar a foto nas redes sociais
  • 35% das jovens brasileiras dizem se sentirem “menos bonitas” ao verem fotos de influenciadores/ celebridades nas redes sociais
  • A pesquisa mostra que quanto mais tempo as meninas passam editando suas fotos, mais elas relatam baixa autoestima corporal
  • 60% das que passam de 10 a 30 minutos editando as imagens dizem ter baixa autoestima
  • O estudo indica que as meninas que distorcem suas fotos são mais propensas a ter baixa autoestima corporal (50%) em comparação com aquelas que não distorcem suas fotos (9%). 

O Projeto Dove Pela Autoestima conversou com cerca de 1,5 mil meninas e mulheres brasileiras de 10 a 55 anos. A pesquisa revelou dados preocupantes: 89% das participantes afirmaram compartilhar selfies esperando um retorno positivo de outras pessoas e 84% das adolescentes com 13 anos já distorceram fotos para publicar nas redes sociais. A validação pelas selfies é uma constante e está diretamente relacionada a popularidade das plataformas digitais. A pesquisa da Dove ocorreu e dezembro de 2020 e mediu o impacto do uso das redes sociais e filtros na autoestima de meninas entre 10 e 17 anos nos Estados Unidos, Inglaterra e no Brasil. No Brasil o estudo foi feito Edelman Data & Intelligence. O Projeto Dove pela Autoestima é uma parceria com a UNICEF – Fundo das Nações Unidas para a Infância para promover os direitos e o bem-estar de crianças e adolescentes em mais de 190 países. O objetivo da iniciativa é educar e inspirar jovens sobre confiança corporal e autoestima. Com lançamento previsto para esse segundo semestre e visando impactar a vida de 2 milhões de jovens entre 13 e 18 anos no país. 

O Projeto Dove Pela Autoestima foi criado em 2004 e já impactou positivamente a vida de mais de 69 milhões de jovens em 150 países em todo o mundo. Até 2030, Dove planeja aumentar seu impacto social por meio do Projeto Dove pela Autoestima em mais de 250%, atingindo a vida de 250 milhões de jovens no mundo.