News 2 anos atrás | Redação

Raízes, o poder da empatia

O fotógrafo de casamento Beto Santos fala da importância do relacionamento verdadeiro e da empatia com os clientes

por Revista FHOX
beto-santos
Beto Santos. Foto de José Iran

Sou Beto Santos, fotógrafo de casamento do interior de Pernambuco, em Caruaru. A fotografia chegou em minha vida por meio da vontade de registrar as coisas mais simplórias do dia a dia. Eis que recebo um convite inesperado e sem pretensão: ser freelancer de um casamento no ano de 2011. Por intermédio de uma amiga fotógrafa pude viver uma das melhores experiências desde então e ali disse a mim mesmo: “É isso que quero seguir”.

Assim, busquei me aperfeiçoar como fotógrafo e comecei a crescer profissionalmente, participando de workshops e congressos. A partir daí os resultados começaram a chegar. Ingressei nas principais associações de fotógrafos do Brasil e logo tive duas fotos premiadas e os prêmios não pararam por aí. Em 2014 fui eleito o fotógrafo do ano pela Associação Bride, já em 2015 recebi o prêmio Golden Image pela Associação Inspiration Photographers e em 2016 pela mesma fui indicado ao Prêmio Lente de Ouro na categoria Fotógrafo Revelação do Ano.

E64A0439
Foto ganhadora do Golden Image 2015

Sintonia – Mas no decorrer da caminhada sempre percebi que algo ainda faltava em minha fotografia. Mesmo possuindo o domínio sobre a luz e a composição, sentia dificuldade no quesito direção. Foi a partir disto que senti o poder da empatia e o quanto a sintonia com os meus clientes era imprescindível para o resultado final do meu trabalho. Com isso, algumas indagações foram importantes para meu crescimento profissional, como: “Tenho dado a atenção de que eles precisam e merecem?”, “Tenho me importado realmente com os sonhos deles?”. E foi assim que a empatia me fez entender a diferença entre ser apenas um prestador de serviço e um fotógrafo que se propõe a estar próximo, conhecendo e participando da história do casal.

Deste modo, proponho que se imagine fotografando o casamento do seu amigo favorito. Ou melhor, imagine todos os seus eventos sendo de seus amigos. Logo, creio que pode sentir a liberdade de clicar facilmente os acontecimentos. Pois é assim que a empatia e o desejo de estar junto deles me fazem sentir livre para fazer o meu trabalho de forma leve, descontraída e ousada. É isso que mais me fascina.

“Imagine todos os seus eventos sendo de seus amigos. Logo, creio que pode sentir a liberdade de clicar facilmente os acontecimentos”

Portanto, quais são as raízes da fotografia para você? Para mim é difícil falar sobre algo que tem a ver com coração, emoção, com tudo que a gente carrega nesse peito. Palestrei sobre esse tema no FHOX On The Road Recife, em novembro passado, e agora vou também deixar aqui um pouco do que sinto.

A fotografia me presenteia com clientes que se tornam amigos, e gosto muito disso. Planto minhas raízes, mas cada cliente se torna uma parte das minhas raízes… E a fotografia, essa grande árvore, tem nas raízes o nome de cada cliente que faz parte da minha narrativa de vida.

Em cada casamento, ensaio, me sinto parte daquela história. Me jogo, me atiro, mergulho com todo meu coração. Danço junto, bebo junto, brinco junto, choro junto, é junto que consigo ser um bom fotógrafo, porque desejo ser o melhor onde estou.

É assim que busco novos clientes… Novas raízes! E as raízes que já estão na terra cultivo para que possam crescer e consolidar.

Beto Santos é fotógrafo social em Caruaru (PE)