News 2 anos atrás | Redação

Quando a sua foto vira anúncio (sem você saber!)

A escritora Shubnum Khan descobriu que seu rosto foi usado por agência do mundo todo em anúncios dos mais variados tipos

por Revista FHOX
Foto: PhotoShelter

Shubnum Khan virou notícia nas últimas semanas. A sul-africana é autora do livro Onion Tears e publicou no Twitter sobre como ela descobriu que sua foto foi usada em dezenas de anúncios no mundo todo. Khan contou tudo no Twitter. Mas como isso aconteceu? Primeiro, quando era estudante ela participou de uma sessão de fotos com um fotógrafo e assinou um documento sem ler direito o contrato. O ensaio era para o projeto 100 Faces Shoot com 100 diferentes expressões de modelos. O termo assinado por ela foi usado depois para autorizar os trabalhos comerciais. Ela conta que imaginava que a autorização seria só para aquele projeto, mas que esse não foi o caso. Depois, Khan descobriu que sua foto foi usada até um anúncio do McDonald’s da China. O fato é que ela não leu as “letras pequenas” nas cláusulas que justamente previam o uso para outros fins comerciais.

Leia também: Sebastião Salgado será indenizado por uso indevido de fotografia

No fim, está claro que hoube má fé do profissional que usou primeiro o projeto para conseguir levantar as imagens para depois faturar com as marcas e as agências. Khan descobriu tudo meio que por acaso. Primeiro quando uma amiga avisou que viu a foto dela em um anúncio de imigração do governo canadense em um jornal local. A escritora foi atrás do fotógrafo para explicações e ele assumiu que vendeu os retratos. Desconfiada, ela decidiu pesquisar mais a fundo e viu que seu rosto estava em tudo o que é tipo de anúncio. Uma marca de tapetes de Nova York, uma caminhada por alguma causa no Camboja ou um anúncio de aplicativos de encontros na França. Cartazes virtuais e físicos usaram o rosto de Khan para divulgação de produtos e serviços dos mais variados. Em alguns casos, houve edição digital que a transformou ainda mais. Isso, da mudança de feições e retoques digitais também estava nas cláusulas do contrato. O caso foi destaque até na CNN.

Ela apareceu como mãe de outras crianças na mesma foto e sentiu que estava participando de uma campanha enganosa. Algo que ela define como desonesto por parte das campanhas publicitárias. Inconformada, ela pediu para o fotógrafo retirar as imagens da internet e acionar todos os que usaram suas fotos. O profissional concordou só em tirar as imagens que estavam disponíveis no site dele. Mas ele avisou que não tinha mais controle das outras fotos, pois elas estavam com agências e já tinham sido comercializadas. Khan disse que até poderia tentar faturar algo com essa história. Mas que prefere alertar as pessoas para não participarem de projetos assim e assinar contratos sem ler direito o que está envolvido no trabalho. Ou assinar e ver o próprio rosto virando anúncio de creme contra acne e outras  bizarrices.

>> Quer conhecer a nova FHOX de graça? 

Se você tem uma matéria, um relato, uma coluna, um tutorial ou qualquer outro tipo de conteúdo e quer contribuir com o FHOX.com.br, nos envie! Nosso departamento de redação vai analisar e, se aprovado, será publicado e assinado por você, respeitando todas as regras do direito autoral. Colabore clicando aqui: Você na FHOX.