News 9 meses atrás | Redação

Quando a fotografia vira caso de polícia

Dois casos recentes expõe uma outra faceta do mercado fotográfico. Ambos tem algo em comum: nasceram na projeção das atividades educacionais

por Revista FHOX

O ano de 2018 já está marcado por dois casos recentes que tiveram forte divulgação nas redes sociais. Embora distintos, eles trazem algo de semelhante. Pois nasceram nas atividades educacionais na fotografia. O mercado de ensino da fotografia cresceu exponencialmente no ramo nos últimos anos. Fruto justamente da popularização dos eventos, regionais, do avanço dos cursos on-line e da própria projeção de tudo isso com a chegada das redes sociais. Nunca tivemos tantos congressos e iniciativas educacionais voltadas para fotógrafos profissionais. E isso é ao mesmo tempo bom e ruim. Bom porque democratizou o ensino e acesso ao conteúdo de fotografia, ruim porque parece que o filtro para projetar e os requisitos para “ensinar” ou promover eventos de fotografia tornou-se cada vez mais reduzido. Resumindo, os critérios para promover um palestrante se tornaram muito superficiais. Algo que pede a reflexão de quem organiza, palestra e se coloca como educador de fotografia no Brasil.

O fim de uma escola – A Fine Art Brasil surgiu faz alguns anos realizando workshops e cursos de fotografia em São Paulo. Uma marca que se tornou conhecida por trazer grandes nomes da fotografia mundial para palestrar no Brasil. No começo da empresa os eventos ocorreram normalmente. Depois de algum tempo a FHOX passou a receber e-mails e contatos de participantes que se sentiam lesados pela empresa devido aos cancelamentos de workshops. Importante destacar que cancelamentos ocorrem em qualquer atividade educacional. Algo normal em eventos de fotografia daqui e de fora, desde que o dinheiro seja ressarcido. Pois muitos reclamaram que não tiveram reembolso, além de prejuízos com passagens, estadia, etc que também não foram reembolsados. De boatos a reclamações informais, o caso ganhou outra proporção no começo desse ano. Uma série de palestrantes internacionais que participariam de um evento da Fine Art Brasil em março passado chamaram a Polícia Federal porque se sentiram lesados pela empresa quanto a calotes. A polícia chegou durante um evento da escola e levou todos os envolvidos para esclarecimentos na delegacia. Lives e posts nas redes sociais dos palestrantes e participantes expuseram toda a situação. Hoje o site da Fine Art Brasil traz um comunicado (foto abaixo). A FHOX procurou a empresa e até a postagem dessa matéria não obteve resposta. A situação toda foi relatada em detalhes em um post de março passado. Veja aqui: Iphoto Channel. 

Quando a referência é acusada de abusos. O outro caso traz similaridades porque começou graças aos eventos de fotografia. O fotógrafo Juliano Coelho estourou com palestras em congressos nos últimos anos. Inclusive com participação no FHOX RS em Santa Maria e no Congresso Fotografar. Exímio palestrante e com um trabalho que ganhou destaque e respeito com retratos sensuais. Coelho costumava usar em suas palestras o apelo religioso e a valorização da mulher. Que a sessão de fotografia sensual serve como uma ferramenta de terapia para melhorar a autoimagem da retratada. Pois na última semana, Coelho teve seu nome envolvido em acusações de assédio e até de estupro. O fotógrafo se posicionou nas redes sociais e depois deletou suas contas e deixou um comunicado no site.

Não demorou para aparecerem outras fotógrafas e retratadas expondo mais acusações de abusos. Inclusive com a criação de uma conta no Instagram para relatar sobre o caso. Muitas relataram que estão fazendo terapia e que até pensaram em suicídio. Assim como no caso da Fine Art Brasil, a FHOX procurou Coelho para ter um posicionamento do fotógrafo. Juliano respondeu dizendo que o caso corre em sigilo de justiça e que o advogado dele terá um posicionamento oficial. Importante destacar que os casos seguem em apuração.

A ocorrência já tem forte repercussão nas redes sociais e até foi parar no site da Cláudia (Abril). Veja aqui: Fotógrafo renomado é acusado de assédio e estupro.

Atualização: surgiram outras denúncias contra uma série de fotógrafos. Fato relatado em uma conta do Instagram. Saiba mais aqui no post do blog the Thalita Monte Santo. Precisamos falar sobre o assédio na fotografia.