News 3 meses atrás | Redação

Profissionais da saúde imprimem fotos e colam nos uniformes em tratamento contra a Covid-19

Iniciativa visa apoiar movimento que começou nos EUA e busca humanizar o atendimento e proporcionando mais conforto aos pacientes

por Revista FHOX

Quando um paciente é diagnosticado com Covid-19 e chega ao hospital, ele não pode mais receber visitas nem ter contato com outras pessoas. Até médicos, enfermeiros e toda a equipe de saúde devem manter distância, interagindo apenas através de camadas de proteção, os equipamentos de proteção individual com máscaras, óculos, luvas, toucas e diversos protocolos de segurança. A única coisa que o paciente consegue ver, em alguns casos, são os olhos do profissional. Logo, não é possível mostrar nenhuma expressão, sorriso ou sentimento durante o atendimento.

A situação é desafiadora tanto para o paciente quanto para o profissional de saúde que muitas vezes se sente impotente. “Os pacientes não têm direito a ver nenhum familiar, veem toda a equipe com a mesma roupa, com a máscara, com tudo coberto, ou seja, sem acesso ao rosto. E agora, por meio do projeto, eles têm”, conta a enfermeira do hospital de campanha do Anhembi, Caroline dos Santos.  

Pensando justamente em humanizar o atendimento e contribuir para a melhora mais rápida dos pacientes, um médico dos EUA teve a ideia de imprimir a foto de seu rosto sorrindo e colá-la em seu uniforme. A ideia viralizou e outros profissionais de saúde aderiram à ação.

Canon do Brasil acredita no poder da imagem e como ela pode ser importante no auxílio ao tratamento contra o novo coronavírus. Por isso, a multinacional japonesa abraçou essa ideia para que ela também ganhasse corpo no Brasil. Foi então criado o projeto “#CompartilheUmSorriso”, que consiste na doação pela Canon do Brasil de impressoras, câmeras e blocos de papel fotográfico para fazer a iniciativa acontecer também no Brasil.

“Quando ouvimos sobre o projeto, imediatamente aderimos à ideia de trazer mais sorrisos neste período estressante na luta contra este vírus”, conta o Simone Dantas responsável pela comunicação do hospital. Ela afirmou que irá levar a ideia para dois outros hospitais de São Paulo.           

“O foco principal deste projeto é a humanização no atendimento. A Canon, como uma marca que vive a imagem intensamente, acredita no poder transformador que uma fotografia pode ter. É uma gota de esperança para os pacientes já que, ao serem diagnosticados com a doença e entrarem no hospital, eles perdem o contato com o exterior. Uma foto faz toda a diferença. Agradecemos os profissionais de saúde que são verdadeiros heróis na linha de frente em vários hospitais espalhados pelo país”, afirma Manuela Nobre, gerente de Marketing da Canon do Brasil e idealizadora do projeto.

De fato, o sorriso está presente em diversos tratamentos por ter um poder enorme sobre o corpo e a mente. Vários projetos internacionais que trabalham em hospitais usam o humor e o sorriso para ajudar no tratamento de crianças e adultos. “Neste momento é ainda mais importante já que os pacientes vivem sob a incerteza do futuro. Além disto, a internação hospitalar no caso do Covid-19 é assustadora, pois o paciente chega em um ambiente desconhecido, lutando contra um vírus que ainda deixa muitas dúvidas, sem amigos ou familiares para confortá-lo. Deixar o tratamento o mais humanizado possível, mesmo que um detalhe como uma foto impressa em um uniforme, traz paz ao paciente e pode contribuir sim na luta dele contra a doença”, afirma a psicóloga Rosângela Casseano.

“Com essa foto o paciente sabe com quem está falando, então isso traz uma aproximação, uma humanização pro atendimento e tudo isso é muito importante no tratamento de uma doença onde você precisa tocar pouco, que você tem pouco contato e aproximação. Então é um projeto muito grandioso que humanizou mais nosso hospital”, conta a Dra. Tassiana Sacchi.

“A gente também usa máscara o tempo todo, né. Isso é ruim, não poder ver os médicos, mas agora sim. Ela é linda (fazendo referência à enfermeira). Estava escondendo essa beleza toda”, diz sorrindo a paciente que luta contra o Covid-19, Isa de Faria Bitencourt.

Para Tonm de Andrade Santos a iniciativa é muito boa para todos os pacientes. “Estamos aqui em tratamento e não conseguimos ver quem nos atende. Agora, com a foto colada no uniforme, sabemos exatamente como é a pessoa, é muito legal”, conta.

“Esperamos que o projeto inspire outros profissionais da saúde em outros hospitais. É a mensagem de como um simples gesto pode fazer uma diferença enorme”, finaliza Manuela Nobre.  

http://canon.com.br/

Segue a lista de hospitais que receberam doações:

SÃO PAULO
Instituição
Hospital Municipal de Campanha de Combate ao Coronavírus no Anhembi
Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Hospital São Paulo
RIO DE JANEIRO
Instituição
Centro Hospitalar Para a Pandemia do Instituto Nacional de infectologia  Evandro Chagas – FIOCRUZ
Hospital Municipal Ronaldo Gazolla – Acari  (Referência)
Hospital Federal de Bonsucesso (Referência)
MINAS GERAIS :
Instituição
Hospital Eduardo de Menezes-HEM  (só atende casos suspeitos de covid-19)
Centro Especializado em COVID-19 (CECOVID)
AMAZONAS :
Instituição
Hospítal Nilton Lins (de combate a covid)
Hospital Delphina Rinaldi Abdel Aziz (de referência)
PARÁ :
Instituição
Hospital Regional Abelardo Santos
Fundação   Santa  Casa de Misericordia do Pará
Hospital  Regional do Baixo Amazonas
Hospital de Campanha de Belém (Centro de Convenções e Feiras da Amazônia, o Hangar)
RIO GRANDE DO SUL:
Instituição
Hospital  Nossa Senhora da Conceição
Hospital de Clínicas de Porto Alegre-HCPA
PERNAMBUCO
Instituição
Hospital Provisório Recife (HPR) 2 (HOSPITAL DE CAMPANHA)
O Hospital de Referência Covid-19 (Antigo Hospital Alfa)
BAHIA
Instituição
Hospital Espanhol (Unidade de Tratamento de combate ao covid-19)
BRASÍLIA
Instituição
Hospital Regional da Asa Norte (Hran)