Apoie a FHOX Impressa e garanta recompensas incríveis!


O impacto do YouTube na economia brasileira

Estudo encomendado pelo YouTube mostra que a plataforma gerou mais de 120 mil empregos e injetou R$ 3,4 bi em 2020 no PIB brasileiro

Os dados foram divulgados pelo próprio YouTube (Google) em estudo feito em parceria com a consultoria Oxford Economics. A consultoria descobriu que esse impacto envolve marcas e empreendedores individuais. A Oxford Economics diz que 87% das empresas que possuem um canal afirmam que o YouTube as ajuda a entender seu público , 85% dizem que conseguiram aumentar a base de clientes e 92% dizem ser encontrados mais facilmente. A mudança no comportamento e perfil é visível. De um foco para criadores de conteúdos e influenciadores, a plataforma se expandiu para negócios e de profissionais que usam os vídeos para se comunicarem. E tudo feito com parte em uma estratégia pensada para relacionamento e vendas. “Vimos uma evolução. A primeira esfera importante do relatório é o crescimento sustentável e saudável da plataforma, com criadores virando empreendedores e empresas virando criadores”, disse Patrícia Muratori, diretora do YouTube no Brasil em matéria recente da Exame.

Eliseu Pereira, do canal do YouTube Oficina Caipira
Eliseu Pereira, do canal Oficina Caipira – YouTube/Divulgação

A matéria da Exame mostra o case fascinante e inspirador de Eliseu Pereira. O canal do YouTuber atraiu em 5 anos mais de 800.000 assinantes e ele emprega duas pessoas que o ajudam na produção dos vídeos. “A história tem origem em Divisópolis, uma cidade de 10.000 habitantes na fronteira entre Minas Gerais e a Bahia. Pereira é dono do canal Oficina Caipira, em que ensina técnicas de marcenaria, promove vídeos de aventuras no interior do país e dá o passo-a-passo para pôr de pé construções e estruturas — seja um fogão e forno à lenha ou um banco de madeira” indica a matéria. Os números da consultoria comprovam que existe muito potencial e espaço para crescimento na plataforma como a própria matéria diz: o número de canais que faturam mais de 10.000 reais em publicidade em um ano cresceu 70% em 2020. Já são mais de 2.000 canais que têm 1 milhão de assinantes no Brasil, alta de 30%. Do lado das empresas, tem sido cada vez mais comum parcerias e inserções publicitárias.

De acordo com Muratori, o YouTube vem se especializando e conta com times para conteúdo e auxílio a criadores em diferentes temas, como entretenimento, saúde, jogos, esportes, educação e jornalismo. “São diversos tipos de conteúdo e temos especialistas que ajudam os criadores a serem mais eficientes em seus negócios na plataforma”, disse.

Mas, acima dos aspectos econômicos e de negócios, o YouTube tem se mostrado uma plataforma diversa culturalmente, o que é percebido pelos usuários. 94% deles acredita que os vídeos são ricos nesse sentido e 78% dizem ter acesso a conteúdo que não está disponível em mídias mais tradicionais. “A plataforma busca dar voz a todos os tipos de conteúdo, ajudar nas recomendações através de nossos mecanismos, e ter um papel de enaltecer vozes”, diz Muratori. Por mais canais como o de Eliseu Pereira Brasil afora.