News 7 meses atrás | Redação

O fotógrafo documental que acompanhou as filmagens de Roma

O filme de Alfonso Cuarón é um dos favoritos a levar a premiação que ocorre no domingo que vem. Carlos Somonte é amigo de infância e passou dois anos no set retratando as cenas. O resultado é fascinante e até virou fotolivro de luxo

por Revista FHOX
Foto: Carlos Somonte

Carlos Somonte deu entrevista recente para a rede norte-americana de tevê CNN. Ele contou que foi um processo intenso acompanhar as filmagens. Roma conta uma história muito pessoal do diretor Alfonso Cuarón. Aliás, o diretor cuidou também da direção de fotografia, roteiro, edição e produção. A história se passa na Cidade do México e traz muito da infância do diretor no filme nos anos 1970. Todo em preto e branco, a produção foi acompanhada por Somonte por dois anos. Ele foi contratado como fotógrafo oficial do filme e é amigo antigo de Cuarón. Em 2016 e 2017, Somonte acompanhou as gravações e garantiu cliques tocantes que trazem muito do estilo e da mensagem intimista de Roma.

Foto: Carlos Somonte

Todas fotos em p&b e seguindo um padrão de fotografia documental que é a abordagem fotográfica de Somonte. No fim, chega a ser curioso que ele tenha tido liberdade total no set para documentar cenas ensaiadas. Olhando as fotografias criadas por ele, parecem momentos que qualquer família viveria. Sem poses ou simulações. Não parece ficção. O fotógrafo disse para a CNN que embora seja uma história de Cuarón, também é um pouco a história dele. Já que os dois se conhecem desde pequenos. Viviam na mesma vizinhança de Roma (o bairro que batiza o nome do filme). “Temos a mesma origem” diz Somonte.

Foto: Carlos Somonte

O fotógrafo contou que as gravações seguiram uma produção toda orquestrada nos mínimos detalhes. E que tudo foi filmado em ordem cronológica e que os atores foram recebendo o roteiro aos poucos. “Eu entendi já no primeiro dia que essa era uma oportunidade única de me envolver nas fotos de um jeito diferente” conta. Para tanto, Somonte acompanhava e estudava a coreografia de cada cena nos detalhes. Sobretudo as tomadas mais longas e assim ele encontrava um jeito de se encaixar nas cenas e fotografar. Pulando de plataformas e até se jogando no chão com a cara na lama para pegar os melhores cliques. Eu comecei a fluir em paralelo ao filme. Sempre de um ângulo diferente, com perspectiva distinta para contar a mesma história ao mesmo tempo em que ela era filmada” disse para a CNN. O resultado se nota em imagens marcantes que nos levam para dentro do filme.

Leia também: Movimento Imprimir 

Foto: Carlos Somonte

 

Um trabalho tão exaustivo quanto as gravações. Somonte passava 12 horas clicando as gravações e depois ele corria para selecionar as imagens e compartilhar com Cuarón. Segundo ele, isso teria enriquecido os resultados visuais do filme. Por inspirar o diretor. O processo foi emocionalmente forte para todos os envolvidos. Por levar quem viveu aqueles anos a relembrar os momentos de felicidade, mas também de repressão. Aliás, Cuarón fez questão de levar para a equipe mexicanos que viveram naquela época e sabe o que passaram os personagens da história. A Cidade do México vivia uma rotina turbulenta e violenta no começo dos anos 1970. Em especial por conta dos da repressão dos protestos de estudantes e do Massacre de Corpus Christi em junho de 1971.  A recriação das cenas de violência é das mais autênticas e tanto o filme quanto o fotógrafo que documentou tudo conseguiram captar de forma sensível. Inclusive o diretor usou parte das fotos criadas pelo fotógrafo nas imagens da época.

Foto: Carlos Somonte

O fato de Cuarón ter sido o diretor de fotografia do filme e ainda assim levando um fotógrafo para cobrir o set deu outra dimensão para o registro do filme. Como se fosse a história da história. Roma concorre com 11 indicações e é uma produção Netflix com grandes chances de levar boa parte dos prêmios. O filme está em vários cinemas pelo mundo e muitos críticos sugerem que as pessoas não assistam em cada no Netflix. Pois a experiência (sonora e visual) seria mais arrebatadora no cinema. Difícil discordar. O filme foi premiado em outras premiações (como o Leão de Ouro em Berlim). E o fotógrafo Somonte lançou um photobook em edição da luxuosa pela editora Assouline que traz as fotografias das cenas como se um outro espectador de Roma. A edição inclusive estaria ajudando a promover Roma frente aos críticos e a própria academia do Oscar. Agora é só esperar para ver se Cuarón levará os importantes prêmios de direção, filme, roteiro e cinematografia. Seja como for ele e a equipe (e em certa medida também o amigo de infância fotógrafo) se envolveram no desenvolvimento de uma nova obra prima cinematográfica.

O livro com as fotos de Carlos Somonte sobre Roma. Obra prima do cinema

Participe da primeira turma online da Escola de Negócios FHOX 

Feira Fotografar 2019: o grande encontro da fotografia brasileira

Se você tem uma matéria, um relato, uma coluna, um tutorial ou qualquer outro tipo de conteúdo e quer contribuir com o FHOX.com.br, nos envie! Nosso departamento de redação vai analisar e, se aprovado, será publicado e assinado por você, respeitando todas as regras do direito autoral. Colabore clicando aqui: Você na FHOX.