News 1 mês atrás | Redação

Nikon e as fortes perdas de 2020

Dados antecipados pela fabricante indicam um perda histórica para a marca. Nikon reconheceu a entrada tardia na categoria das mirrorless

por Revista FHOX
Foto: DIY Photography

A situação delicada da Nikon não é novidade. Nos últimos anos foram inúmeros anúncios difíceis. Aqui no Brasil a empresa encerrou as atividades com enorme repercussão. Recentemente inclusive a Nikon anunciou que a fabricação das câmeras migraria em sua totalidade para a planta no Vietnã. Em entrevista recente, o CEO da Nikon, Hirotaka Ikegami, disse que não só os efeitos da pandemia foram nocivos, mas também a lenta transição da marca para a tecnologia que hoje é dominante: as mirrorless. Ele disse que é uma área que ele a fabricante vai se concentrar no momento. As perdas financeiras são históricas para o ano fiscal de 2020. Foram 720 milhões de dólares (as perdas em 2019 tinham sido de 65 milhões de dólares). Com esse impacto a marca terá um déficit de 449 milhões de dólares para esse último ano fiscal.

Nikon Historical Performance

Para reverter o quadro a Nikon fez a reestruturação e vai apostar nos modelos da linha Z das mirrorless. O que segundo ele já traz resultado positivo e a capacidade da marca se recuperar. Com investimentos também em pesquisa e desenvolvimento e novos modelos mirrorless até março de 2022. Na bolsa de valores japonesa a Nikon esteve entre os papéis de maior queda com -6.8%.