Conheça o ImageCon - Conferência do Imaginário

Nift Art Place Tec: primeiro estúdio brasileiro especializado em NFT

Novidade apareceu em destaque no site CoinTelegraph. Artistas brasileiros fizeram parceria com a empresa blockchain Whooper Technologies para ajudar na emissão e negociação de NFTs de obras de arte

Tudo indica ser o primeiro brasileiro com esse serviço de tokenização de obras de arte. O NFT é visto como uma revolução para a arte digital e lá fora obras estão sendo comercializadas por milhões de dólares. Um mercado que não para de crescer e que deve se expandir ainda mais nos próximos anos. O Nift Art Place Tec (NAP TECH) traz a união do coletivo de artistas Nosso Art Place (Luis Otávio, Maurício Bressan e o artista plástico e jornalista Arnaldo Etrusco) com a empresa Whooper Technologies, uma empresa norte-americana de blockchain, para a criação de NFTs de obras de arte.

O fato é que criar arte com NFT pode não ser tão simples como parece. Talvez pensando nisso essa parceria vê mais oportunidades. Destaco o texto da matéria da Cointelegraph sobre a iniciativa.

No press release o empresário André Luis, da Whooper Technologies disse…

“A união nasceu de maneira estratégica em função da sinergia de conhecimentos específicos de cada um em suas áreas de atuação. A Whooper conduz o desenvolvimento de um projeto mundial de larga escala de uma nova rede envolvendo Blockchain, AR, VR e NFT, enquanto pelo lado da NAP, Arnaldo Etrusco, Luis Otávio Maurício Bressan estão envolvidos diretamente no mercado de artes e comunicação”

O coletivo de artistas enxerga espaço no mercado de arte brasileiro, que tem alguns artistas de renome internacional de olho no emergente mercado de NFTs, e vai atuar no processo de desenvolvimento dos NFTs de obras de arte até a escolha do marketplace para cada tipo de arte. Arnaldo Etrusco também comenta:

“O cenário artístico brasileiro é rico e está repleto de talentos, inclusive com reconhecimento internacional, como Kobra, Os Gêmeos e Mike Deodato, ilustrador da Marvel; sem falar dos escritores e diversos músicos ganhadores de Grammys, por exemplo. Além disso, temos um mercado consumidor que apenas internamente, por si só, já é um dos maiores do mundo, com 200 milhões de pessoas”

O coletivo de artistas percebeu que a emergência do mercado de NFTs tem atraído artistas das mais diversas áreas, mas a falta de conhecimento técnico era um gargalo para o setor. Por isso, a parceria chega para trabalhar ao lado dos artistas para a insersão destes profissionais nos mercados de NFT:

“O que percebemos é que a maioria dos artistas está antenada e altamente interessada na novidade dos NFTs, mas como se trata de um mercado muito novo, tem enfrentado dificuldade para conceber e vender suas obras como NFT por falta de conhecimento técnico adequada e de assessoria especializada para dar suporte nas etapas de criação, mintagem e marketing”, explica Maurício Bressan. 

O Nap Tech já está em operação no Brasil e deve estrear seu primeiro NFT em breve: uma obra de arte do artista gráfico Norberto Noschang, que terá trilha sonora do ganhador do Grammy Johny Maia.

A explosão do mercado de NFTs em 2021 chamou atenção de todo o mundo, com aplicações nos mais variados setores, desde GIFs, músicas, colecionáveis e até na área esportiva. Uma pesquisa recente da Consensys mostrou que a falta de renda de artistas durante a pandemia foi um dos catalizadores da explosão do setor.

Sua arte em NFT: Coletivo de artistas lança primeiro estúdio brasileiro especializado na tokenização de obras de arte (cointelegraph.com.br)