News 12 meses atrás | Redação

Livro Nascer, da editora Timo, reúne imagens de partos humanizados

São mais de 200 fotos coloridas e preto e branco feitas pela fotógrafa Lela Beltrão. O livro está em campanha de financiamento coletivo no Catarse

por Revista FHOX

Com a intenção de mostrar a importância da mulher como protagonista do seu parto e as consequências positivas que um parto vivenciado com respeito podem ter na vida de um bebê e de toda a família, a editora Timo lança em setembro o livro Nascer, com fotografias de 50 partos feitas pela fotógrafa Lela Beltrão. Com mais de 200 fotos coloridas e preto e branco, a publicação está em fase final de gestação e em campanha de financiamento coletivo na plataforma Catarse. O lançamento acontecerá durante o Siaparto – Simpósio Internacional de Atendimento ao Parto.

Enquanto vivemos uma realidade em que 25% das mulheres sofrem violência obstétrica, segundo dados da Fundação Perseu Abramo, e que nos hospitais particulares a taxa de cesáreas é de 80%, sendo que a Organização Mundial de Saúde (OMS) indica 15%, o livro Nascer pretende lançar, por meio de imagens, um novo olhar para a natureza de parir.

Nascer
2016 05 31: Nascimento do Leo, parto da Flora. Pai Daniel e irmão Caio. Doula Maíra Duarte. Parteiras Letícia Ventura e Isabele Ruivo.

“Queremos incentivar as mulheres a pesquisarem, se informarem e, assim, se empoderarem do seu processo de parto. Toda mulher deveria ter autonomia para escolher o parto que quer para si e essa escolha consciente precisa ser respeitada”, explica Ana Basaglia, publisher da Editora Timo. As imagens são da fotógrafa Lela Beltrão que, em 2013, depois do nascimento de sua primeira filha, conheceu o universo do parto humanizado e se encontrou fotografando partos e estudando o tema.

Lela Beltrão também fala sobre a obra: “A fotografia é um grande agente de transformação, e as mulheres, quando veem outras parindo, se identificam e buscam informação para o seu próprio parto. Essa coletânea de imagens permite que o leitor veja 3, 4, 5 mulheres diferentes em um mesmo momento do trabalho de parto. E quando vemos várias mulheres parindo lado a lado, percebemos uma relação, algo que é comum a todas, uma similaridade no ser mulher e no parir, trazendo uma sensação de normalidade e naturalidade para o processo do parto”.