News 1 ano atrás | Flávio A. Priori

Kodakit é criticado por passar por cima de direitos autorais de fotógrafos

Serviço de subsidiária da Kodak propõe que fotógrafos abram mão de direitos para seus clientes

por Revista FHOX

O Kodakit é um serviço de fotografia sob demanda criado pela Kodak. Seu objetivo é conectar fotógrafos com empresas e pessoas que precisem de seus serviços. Um conceito interessante, mas que vem enfrentando críticas por conta de algumas decisões referentes a como os direitos de imagem são tratados. Pelos termos de uso da plataforma, o Kodakit pede que os fotógrafos abram mão de todos seus direitos do trabalho feito.

Quem destacou esse tópico foi o site PDN, que fez uma análise detalhada dos “Termos e Condições do Fotógrafo”. De acordo com esses termos, o profissional deve ceder de forma “perpétua e irrevogável” os direitos ao cliente que comprar seu trabalho. Sendo mais específico, o texto fala de todos os direitos da imagem e direitos associados referentes à obra.

Kodakit

Leia também: ENF: O AVANÇO DAS PLATAFORMAS “TIPO UBER” NA FOTOGRAFIA PROFISSIONAL

Em outros trecho do regulamento, os fotógrafos devem pedir permissão ao Kodakit e ao respectivo cliente para usar alguma imagem vendida, para fins de promoção própria. Os termos também exigem que todo o material relativo ao trabalho vendido seja entregue ao cliente ou destruído. Por fim, os fotógrafos não podem sequer se declararem como autores da imagens, abrindo mão de seus Direitos Morais.

Em entrevista ao site PDN, a chefe de marketing da Kodakit Natasha Adams falou: “São transações de alto volume que dão suporte a novos modelos de negócios. Infelizmente a forma tradicional de dar suporte à fotografia não consegue  escalar para esses modelos”. Em outro ponto da conversa, Adams, complementa, falando dos termos da plataforma: “Não são todos os fotógrafos que concordam com isso. [Mas] somos bem transparentes com os termos. Os fotógrafos que concordam com isso, e estão com eventos constantes, estão felizes”.