News 2 anos atrás | Redação

Isso é fotojornalismo?

Série de um fotojornalista italiano teve forte repercussão negativa mundial por explorar a pobreza

por Revista FHOX
Alessio Mamo

Alessio Mamo é um fotógrafo italiano que atua na Sicília e que nas últimas 24 horas viu seu nome no meio de uma forte polêmica. Mamo teve a série “Dreaming Food” publicada no Instagram da celebrada World Press Photo. Na verdade, uma ação em que ele assumiu o controle da conta para publicar seus trabalhos. A organização contratou o fotojornalista para mostrar sua série e a partir daí pegou muito mal. Mamo foi convidado depois de ganhar um prêmio no concurso da World Press Photo. Uma foto que ele fez no Iraque. O problema é que a série Dreaming Food (sonhando com comida) mostra moradores da Índia cobrindo os rostos na frente de uma mesa repleta de comidas. Detalhe: todos os alimentos são falsos.

A ideia do projeto surgiu depois que o fotógrafo pesquisou sobre o desperdício de comida no Ocidente. “Trouxe comigo uma mesa e comida falsa e disse às pessoas que sonhassem com alguma comida que gostariam de encontrar na mesa”. A região que ele visitou é rural e sofre com desnutrição e pobreza extrema. A encenação gerou fortes críticas questionando o comportamento ético e o limite de uma ideia que para muitos é exagerada e bizarra. Na Índia, fotojornalistas e a população criticaram fortemente o comportamento de Mamo. Definindo a ação como fotojornalismo pobre e desumano. O italiano respondeu que essa era justamente a intenção. “representar de maneira estereotipada a paisagem da região e reforçar o conceito. Talvez eu tenha feito algo errado, antiético. Mas o conceito era problematizar o desperdício de alimentos nesse local”. Mamo evitou a imprensa e só respondeu comentários exaltados nas redes sociais. O caso apareceu em destaque em sites como o jornal britânico The Guardian e outras publicações respeitadas do mundo.

These photographs are from Uttar Pradesh and Madhya Pradesh two of the poorest states of India. From the series "Dreaming Food", a conceptual project about hunger issue in India. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ [This project has been the subject of much online debate. Please read Alessio Mamo’s statement, released on 24 July 2018, giving more details and apologising for any offence: https://medium.com/@alessio.mamo/my-statement-on-dreaming-food-7169257d2c5c] ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ My name is Alessio Mamo (@alessio_mamo) an Italian freelance photographer based in Catania, Sicily. In 2008 I began my career in photojournalism focusing on contemporary social, political and economic issues. I extensively cover issues related to refugee displacement and migration starting in Sicily, and extending most recently to the Middle East. I was awarded 2nd prize in the People Singles category of #WPPh2018 and this week I’m taking over World Press Photo's Instagram account. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ Despite economic growth, a majority of the Indian population still lives in extreme poverty and disease. Behind India’s new-found economic strength are 300 million poor people who live on less than $1 per day. Government figures may indicate a reduction in poverty. But the truth is, with increasing global food prices, poverty is spreading everywhere like a swarm of locusts. These pictures are taken in rural areas where conditions are worse than in the cities and where close to 70% of India’s population reside today. Statistics show that 2.1 million children under 5 years old die of malnutrition annually. The idea of this project was born after reading the statistics of how much food is thrown away in the West, especially during Christmas time. I brought with me a table and some fake food, and I told people to dream about some food that they would like to find on their table. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ #WPPh2018#asia #dreamingfood #india

A post shared by World Press Photo Foundation (@worldpressphoto) on

“Os jornalistas têm a obrigação de transmitir informações em contextos reais. Colocar comida falsa e o que parece ser comida ocidental e álcool além de encenar cobrindo rostos é uma exploração”, disse para a Quartz, Kathleen Bartzen Culver , diretora do Centro de Ética em Jornalismo da Universidade de Wisconsin (Estados Unidos). Fotógrafo respeitados e fotojornalistas questionaram a World Press Photo quanto ao posicionamento da organização e sobre os critérios de deixar um fotógrafo postar algo assim na conta do Instagram da WPP. Não demorou para a World Press Photo se posicionar quanto ao ocorrido. “somos uma plataforma para fotógrafos compartilharem seus trabalhos e não limitamos nossas escolhas e oferecemos diretrizes gerais. Acreditamos que uma controvérsia dessas não pode ser excluída da rede social e nem seus comentários”. Logo, a série deve ficar na conta do Instagram (que possui quase 1 milhão de seguidores). Mamo escreveu um post no Medium para explicar tudo e se desculpar. Leia aqui: https://medium.com/@alessio.mamo/my-statement-on-dreaming-food-7169257d2c5c

>> CAMERACLUB: BENEFÍCIOS E DESCONTOS EM MAIS DE 2 MIL VANTAGENS EM UMA COMUNIDADE COM MAIS DE 4 MIL MEMBROS 

Se você tem uma matéria, um relato, uma coluna, um tutorial ou qualquer outro tipo de conteúdo e quer contribuir com o FHOX.com.br, nos envie! Nosso departamento de redação vai analisar e, se aprovado, será publicado e assinado por você, respeitando todas as regras do direito autoral. Colabore clicando aqui: Você na FHOX.