News 2 anos atrás | Redação

Google mostra que marca d’água não protege o fotógrafo

Empresa apagou a "proteção" de fotos de bancos de imagem. Estudo propõe novas formas de proteger os direitos autorais das empresas e profissionais

por Revista FHOX

google_ai_watermark_example_1

O setor de pesquisas do Google mostrou que é fácil tirar a marca de fotos em bancos de imagem. O software fez isso com a ajuda de algoritmos em um processo automático. A demonstração ocorreu em julho passado (no Havaí). A intenção da empresa é demonstrar que as fotos estão vulneráveis e ajudar a comunidade fotográfica e encontrar forma mais seguras de proteger os direitos autorais de cada profissional. O estudo feito Tali Dekel e Michael Rubinstein (ambos pesquisadores do Google) foi publicado no blog da empresa nessa semana.

A equipe treinou o software para identificar padrões de cada fotografia e em seguida separar a imagem sem a marca d’água. O algoritmo desenvolvido pela dupla “entende” sobre gradiente de cor e sombra, opacidade e conhece a estrutura completa da foto. Sendo assim, consegue reconhecer, remover e ajustar a foto como se fosse a imagem original.

download-4

Os pesquisadores abordaram ainda como tornar um sistema de marca d’água e proteção das imagens mais robusto e evitar roubos de foto on-line e uso sem autorização. Ou seja, o Google mostrou que existe sim um caminho para tornar as marcações mais efetivas. Graças a um novo sistema mais eficiente que mesmo com o ataque de remoção da marca d’água deixa a fotografia danificada. Enfim, tomara que o Google siga em frente e ofereça esse sistema de proteção para fotógrafos o quanto antes.