Autoral News 4 meses atrás | Thalita Monte Santo

Fotógrafo lança campanha de financiamento coletivo para participar de exposição

Com projeto que propõe uma reflexão sobre a sobrevivência orgânica das feiras livres no Brasil, ele documenta a resistência dos trabalhadores a partir de um olhar humanista

por Revista FHOX

Com o trabalho reconhecido pela curadoria da The Other Art Fair, um projeto de encher os olhos e muito talento, o fotógrafo João Victor Medeiros, 22, de Juiz de Fora (MG), acaba de lançar uma campanha de financiamento coletivo para poder ir até Chicago expor seu trabalho.

Em 2017, Medeiros iniciou um projeto autoral chamado Feira é livre, que propõe uma reflexão sobre a sobrevivência orgânica das feiras livres no Brasil, documenta a resistência dos trabalhadores a partir de um olhar humanista.

fotógrafo

No ano seguinte, ele foi selecionado para ser exposto no MANA Contemporary, em Chicago (EUA), durante a feira de arte The Other Art Fair, que acontece desde 2011 em várias cidades do mundo. Entretanto, na época ele não conseguiu arrecadar todo o valor que precisava para viajar.

Por outro lado, as organizadoras gostaram tanto do trabalho do fotógrafo que lhe ofereceram uma segunda oportunidade de apresentar Feira é Livre em maio de 2019.

fotógrafo

Por que você deveria apoiar o fotógrafo?

Com a intenção de evidenciar as belezas dos afazeres, bem como cria um elo entre espectador e fotografado através de sua fotografia,Medeiros também colaborar para a quebra de estereótipos de violência e miséria.

E a The Other Art Fair de Chicago é uma feira internacional para artistas emergentes, ou seja, que ainda não estão inseridos no circuito de arte tradicional como grandes museus ou galerias.

“A minha ida para a essa feira de arte significa uma importante oportunidade para um artista negro e brasileiro em início de carreira apresentar um pouco da qualidade artística de nosso país”, explica no site da campanha.

fotógrafo

Onde tudo começou

Ele continua, explicando que “a Feira é Livre faz parte do pensamento e vontade de registrar as feiras e entender o surgimento e a manutenção das cidades em torno dela”. O projeto de médio-prazo, de acordo com ele, teve início em junho de 2017, quando conheceu a Feira de São Joaquim em Salvador (BA).

Leia também: Conhecimento intensivo para mentes inquietas

“A Feira de São Joaquim tem cerca de 35 mil m² e fica situada no bairro do Comércio. É tradicional devido aos preços acessíveis e sua diversidade de produtos, sendo vital tanto para a sobrevivência de diversas famílias como também para o reforço da cultura baiana na cidade de Salvador; sendo o principal distribuidor dos artesanatos de barro, cuscuzeiros, potes produzidos no recôncavo baiano e venda de produtos para rituais religiosos”, explica.

fotógrafo

Refletindo sobre essas histórias e pensando sobre suas próprias vivências, logo depois ele concluiu que essa não é apenas a história da Feira de São Joaquim, mas também de outras ao redor do Brasil.

“Tendo também crescido em feiras, acompanhando meu pai que trazia produtos do Paraguai, percebo hoje que este ambiente foi de vital importância na minha formação cultural – onde pude perceber a pluralidade de vidas e histórias brasileiras – assim como na formação material, pois dali também foi o dinheiro que meu pai pode contribuir para sustentar e educar a mim e a meus irmãos, junto de minha mãe”, conta o fotógrafo.

fotógrafo

Como colaborar?

Sendo assim, para cada valor doado existe uma recompensa diferente. Você pode conferir cada uma delas e ainda assistir a um vídeo explicativo sobre o projeto, feito por João Victor, aqui.

Conheça também outros trabalhos do fotógrafo visitando suas redes sociais: Twitter | Facebook | Instagram