Conheça o ImageCon - Conferência do Imaginário

Fotógrafo afirma que câmera salvou sua vida em explosão

O fotojornalista italiano Gabriele Micalizzi certamente possui uma nova relação com sua máquina fotográfica. Micalizzi trabalhava como freelancer na Síria, cobrindo o conflito que atinge o país. No último dia 11 de fevereiro, no vilarejo de Baghuz foi atingido por estilhaços de uma explosão e quase perdeu a vida. E ele atribui essa sorte a sua câmera Leica.

Micalizzi estava acompanhado de outro profissional, o também fotógrafo Gabriel Chaim, quando foi atingido. A explosão ocorreu por um disparo de um lança granadas (RPG), ferindo o italiano na cabeça, olho e orelha esquerda e em outras partes do corpo. De acordo com Chain, Micalizzi foi levado primeiro para a base Omar Oilfield e depois para um hospital em Bagdá.

explosão
As câmeras após o incidente (foto retirada do Reddit)

Após se recuperar do susto, o fotógrafo agora se recupera no hospital San Raffaele, em Milão, Itália. Em entrevista para o jornal Corriere della Sera, Micalizzi afirmou que se está vivo, uma das causas foi pela sua câmera.

“Eu posso contar a história agora, nesse corredor de hospital, agradecendo todos que fizerem de tudo por mim. Os militares curdos, os doutores americanos, a embaixada italiana. E a minha câmera Leica também. Se eu não a estivesse segurando em frente do meu rosto, eu não estaria aqui para falar sobre isso. No impacto ela feriu meu olho mas serviu como um escudo.”

Claro que não foi só o aparelho. O repórter usava todo o equipamento de proteção que uma cobertura desse tipo exige. Contudo o rosto sempre acaba sendo uma parte vulnerável. No fim das contas, Micalizzi sofreu danos na visão e ficou surdo do ouvido esquerdo, mas dado o contexto, o resultado poderia ter sido bem pior.

Thalita Monte Santo
É jornalista e integra a redação da Revista FHOX. Escreva para: thalita@fhox.com.br