Participe do SIM. Semana do Imaginário Materno!

Fotografias mostram como era a vida em São Paulo nos anos 70

São Paulo é o coração econômico do país e leva em sua história fatos que representam bem o desenvolvimento do Brasil como um todo. Para compreender o que melhorou, retrocedeu, continuou o mesmo ou mudou dos anos 70 para os dias atuais, observar um pouco do passado de SP pode ajudar, afinal, o assunto é a vida de uma das cidades mais influentes do mundo, a mais populosa de todo hemisfério Sul e a 8ª maior da Terra.

Confira como era a cidade décadas atrás!

Trânsito colorido

Como toda cidade grande, a movimentação excessiva nas ruas é uma característica marcante, mas nem sempre apreciada pelos moradores. Há 50 anos, o trânsito já existia, mas suas cores talvez ajudassem as ruas e avenidas cheias a parecerem mais agradáveis. Na época, o carro mais popular era o Fusca e, apesar do mesmo modelo dominar as ruas, o que não faltava era diversidade nas pinturas. O carro era disponibilizado em 14 cores diferentes e, entre as mais desejadas, estavam verde-limão, amarelo, azul e laranja – quanto mais extravagante, melhor.

 

(Crédito: Awebic)

Outdoors pela cidade

Muitos paulistanos mal conseguem reconhecer a cidade quando veem fotos dela cheia de grandes outdoors, propagandas nas laterais de prédios e fachadas de lojas chamativas demais. Atualmente, esse tipo de publicidade é proibida, com o intuito de reduzir a poluição visual, deixar mais claros os sinais de trânsito e melhorar o bem-estar dos pedestres e motoristas. A mudança aconteceu não faz muito tempo: foi em dezembro de 2006 que a lei municipal Cidade Limpa foi sancionada pelo então prefeito Gilberto Kassab.

 

(Crédito: Awebic)

Artistas de rua já ocupavam os espaços públicos

O que continua nas ruas desde os anos 70 até aqui é a arte em suas mais diversas formas. Assim como é hoje em dia, lugares como Avenida Paulista, Praça Ramos de Azevedo, Vale do Anhangabaú, Largo do Paissandu e Praça da Sé já receberam dezenas de pintores, cantores e dançarinos que buscavam atrair com seus talentos quem passava ali.

Prédios que estão de pé até hoje começaram a surgir

A década de 70 foi decisiva para a urbanização de São Paulo. Os primeiros conglomerados de prédios e casas regulares começaram a ser construídos em grande velocidade naquela época e até hoje abrigam moradores, lojas e escritórios. Um levantamento feito pela prefeitura indica que um em cada quatro dos 3 milhões de imóveis registrados atualmente foram erguidos há 50 anos – são cerca de 760 mil construções.

Praia Grande também recebia seus primeiros edifícios

Apesar de não fazer parte da capital, o litoral do Estado marcava e marca presença no  lazer dos paulistanos. Por lá, o desenvolvimento imobiliário chegou na mesma época. Antes dos anos 70 não havia nem sinal de que hoje grandes prédios fariam parte do cenário da orla de Praia Grande, uma das cidades litorâneas mais populares de SP.

Orla da Praia Grande, 1988 (Crédito: Roberto Loffel)

Há meio século, as torres começaram a ser construídas e atraíram também um grande número de pessoas, que passaram a chamar o litoral de lar – muitas delas, vindas de São Paulo. O crescimento em número de habitantes não parou até hoje – na época eram contabilizados 20 mil moradores e, hoje, são mais de 260 mil, de acordo com o censo do IBGE de 2010.

Por lá, a moda também mostrava sua evolução: as já famosas roupas de banho brasileiras eram colocadas à mostra. Os biquínis e maiôs asa-delta tomavam a areia em feriados e fins de semana de muito sol, moda essa que inclusive voltou a aparecer nos biquínis e até em peças para o dia a dia, como o body.