News 6 meses atrás | Jucelene Oliveira

Fotógrafa brasileira ganha prêmio internacional com foto de bebê empelicado

Janaína Brasil venceu a categoria ‘detalhes de nascimento’, do Birth Photography Image Competition.

por Revista FHOX

A fotógrafa brasileira Janaína Brasil venceu a categoria ‘detalhes de nascimento’, do Birth Photography Image Competition, com uma foto que mostra um bebê que nasceu empelicado, ou seja, dentro do saco amniótico que não se rompeu.

Fotógrafa profissional há três anos, ela é especializada em fotografia de nascimento, com fotos premiadas nas maiores associações de fotografia do mundo. Participou de vários WS sobre o assunto e possui certificado de Práticas no Centro Cirúrgico.

Seu primeiro parto foi fotografado em Junho/2015. Um mês depois foi convidada pelo obstetra Dr Rafael Angelo Baggieri a fazer parte de sua equipe, já ultrapassando mais de 600 partos registrados até o momento.

A premiação do Birth Photography Image Competition, fundada nos Estados Unidos, é realizada pela Associação Internacional de Fotos Profissionais de Nascimento. A fotografia vencedora de Janaína Brasil – a única vencedora da América Latina – é o registro do pequeno Noah, que veio ao mundo em Vila Velha, no Espírito Santo, e foi publicada em janeiro de 2019. 

Orgulhosa, Janaína comemorou em sua rede social:

Nascimento empelicado

Na maioria das vezes, a bolsa onde o bebê está alojado dentro da barriga da mãe se rompe logo depois de a mulher sentir as primeiras contrações. No entanto, em situações raras, isso não ocorre, e a criança nasce envolta na membrana que o manteve protegido dentro do líquido amniótico. A estimativa é de que casos de nascimento empelicado são de um para cada 80 mil.

Ainda não é claro para a ciência o porquê da ocorrência, mas é comprovado que não traz nenhum perigo para o bebê ou para a mãe. Pelo contrário, em casos em que a mulher é portadora de alguma doença infecciosa, como por exemplo, HIV, os médicos preferem que o bebê nasça empelicado, por cesárea, para evitar que tenha contato com o sangue contaminado.

Confira mais algumas imagens:

Para conhecer mais do trabalho da fotógrafa, acesse suas redes sociais.