News 2 semanas atrás | Leo Saldanha

Covid-19: 30 medidas concretas para encarar esse momento delicado na fotografia

A situação é séria e sem precedentes, a FHOX preparou um conteúdo que reúne sugestões das mais variadas. De ações na parte de queda de eventos até a parte de reciclagem

por Revista FHOX
lalesh aldarwish

A covid-19 avança com força no Brasil e no mundo. Milhares de pessoas já estão trabalhando de casa e o momento pede serenidade mesmo com todo esse quadro delicado. A FHOX separou sugestões que passam desde o que fazer em casa até como lidar com os imprevistos que estão surgindo. Dividimos as ações em três categorias: trabalho, conhecimento e união.

Profissionais de diferentes partes do Brasil já sentem o efeito do coronavírus com o cancelamento de eventos. Uma das medidas sugeridas pelos próprios fotógrafos é tentar reagendar quando o caso tornar isso possível. Pedir para o cliente manter o cronograma de pagamentos e aproveitar uma data futura para fotografar. Uma campanha do tipo “não cancele, reagende”. No caso de alguns eventos sociais muitas vezes isso não é possível. Nessa situação o melhor é o diálogo e pedir ao cliente um prazo para poder se programar antes de qualquer atitude que terá impacto financeiro imediato. A pesquisa da FHOX mostra que o melhor caminho é o diálogo com os clientes para tentar chegar em um acordo. Essa matéria recente da Globo trata do assunto.

Algumas ideias do que fazer com a queda nos trabalhos? 10 medidas concretas e 100% online!
  1. Buscar alternativas de vendas com fotos impressas para decorar a casa do cliente. Essa pode ser a hora para organizar seus arquivos e encontrar fotografias com potencial para venda. Com abordagem da sua própria clientela ou fazendo uma oferta nas redes socais e no próprio site.
  2. Hora de vender conhecimento para quem terá tempo de sobra. Criar um curso com valor acessível para ofertar em um site como Udemy por exemplo também é uma possibilidade. A questão é: o que você tem a oferecer de conteúdo que poderia interessar ou seus colegas ou clientes?
  3. Fotografar produtos para negócios de e-commerce que necessitam de fotos profissionais para venda on-line. Deve crescer a demanda por venda digital e as fotos vendedoras são uma necessidade que um fotógrafo tem tudo para atender. Usando um serviço de entrega (como a Loggi) o fotógrafo pode receber esses produtos e criar isso em casa para pequenos negócios e empreendedores em geral.
  4. Meero, QUINTOAndar. Serviços on-line que usam o trabalho do fotógrafo para gerar fotos para outras empresas. Essa demanda pode até parar agora, mas terá um interesse e necessidade da mesma forma. Seja para empresas como Airbnb, Uber Eats e outros. O cadastro nesses sites é rápido e tudo depende da aprovação interna dessas plataformas. A FHOX consultou fotógrafos que pediram para não ser identificados que disseram que estão conseguindo faturar algum montante com esse tipo de negócio.
  5. Ser um agente de organização de memórias das famílias. Trabalho que pode ser feito inclusive a distância para os clientes que já foram atendidos antes por um fotógrafo. Os consumidores têm fotos esquecidas em HDs, na nuvem e até impressas. Como organizar isso? Será que não poderiam virar álbuns ou alguma forma de decorar a parede ou no porta-retratos. Para fotógrafos que contam com consumidores frequentes ou que já atenderam muitos clientes no passado essa é uma sugestão mais do que viável. Muitas famílias terão tempo para isso e será uma maneira de reforçar os elos das memórias daquela família em uma oportunidade onde todos estão juntos. Um trabalho colaborativo que envolve uma parceria entre o fotógrafo e a família.
  6. Hora de participar de concursos de fotografia que estejam ativos. Isso vale tanto nos que serão físicos (para algum momento do segundo semestre) quanto aquelas competições on-line. Vale pesquisar concursos de apps que premiam em dinheiro ou com produtos. E são muitas premiações como Agora e outras. Basta uma pesquisa mais apurada no Google para encontrar isso.
  7. Olhar para as bolsas de apoio para fotógrafos. Existem situações de apoio e suporte para determinados grupos. Caso da bolsa inclusiva da Getty para fotógrafos
  8. Tentar a sorte com a iniciativa do Facebook para ajudar pequenos negócios do mundo todo. O Facebook anunciou nessa semana que vai apoiar financeiramente pequenas empresas.
  9. Outras duas alternativas: buscar uma campanha de suporte em um site de financiamento coletivo como Catarse, Kickante ou Kickstarter. Criando mimos para quem ajudar como fotos impressas, sessões pós-surto etc. E ainda tentar a sorte com um site como Patreon que permite que as pessoas assinem o artista dando suporte em troca de benefícios exclusivos.
  10. Alguns fotógrafos estão considerando trabalhos mais personalistas. De ir à casa do cliente para gerar retratos de família ou fotografia documental. Não nesse momento em que a covid-19 ainda é recente, mas em algum momento nas próximas semanas quando a situação estiver mais consolidada. Com os devidos cuidados de higiene e aproveitando para retratar as famílias que estão juntas de qualquer forma. Algumas famílias por exemplo não estão cancelando completamente aniversários, só evitando ter os mais velhos presentes. O que possibilitaria sim a cobertura fotográfica mais intimista. Desde que o fotógrafo tome as devidas precauções. Lembrando que alguns estúdios seguem abertos e a circulação completa ainda não foi proibida (em uma possível quarentena oficial do governo isso será obrigatório). Contudo, a indicação é de que os clientes não vão querer correr riscos nesse momento.
  11. Ana Campbell da Escola Brownie 41 enviou a seguinte sugestão: oferecer álbuns para clientes que não fecharam o produto na época do evento.
  12. Bônus: qual a sua dica? Se enviar para a FHOX esse post será atualizado. Envie sua dica para thalita@fhox.com.br ou leo@fhox.com.br

https://www.facebook.com/lsaldanha2/posts/10207337337867476

Hora de mergulhar em conhecimento para estimular a criatividade, melhorar os negócios e se informar. 10 medidas concretas!
  1. Que tal começar ou planejar um novo projeto criativo com fotografia? Pode ser em casa mesmo. Caso do lay flat, ou fotografia macro, ou miniaturas. Vale tudo quanto o assunto é criatividade. Esse fotógrafo brasileiro que está na Itália retratou os vizinhos nas janelas por exemplo. O que você pode fazer aí da sua casa?
  2. Nem é preciso dizer que existem muitos cursos grátis e uma infinidade de conteúdos de referência na internet. A Udemy disponibilizou cursos grátis. Harvard tem um curso grátis de fotografia.
  3. Nem só curso grátis estão disponíveis. A FHOX terá a Primeira Semana do Marketing 4.0 (nos dias 13-17 de abril). Uma atividade paga, mas com valor muito acessível levando em conta a situação atual. Cada dia com um assunto abordado para o fotógrafo entender a importância do marketing na fotografia e buscar reposicionamento no mercado quando as coisas melhorarem.
  4. Livros: seja de negócios, de fotografia, biografias e literatura. Essa é uma grande chance de mergulhar nos mais diferentes assuntos e colocar a leitura em dia. De marketing nossa dica é: ISSO É Marketing de Seth Godin, de fotografia “É isso que eu faço) da fotojornalista de guerra Lynsey Addario. Ou quem sabe a biografia da Susan Sontag.Também tem essas dicas: /blogs/livro-fotografos/
  5. Netflix conta com inúmeras séries sobre fotografia para você se inspirar ou passar o tempo. Como essa sobre fotojornalismo de guerra. ou essa da Canon.
  6. Você não pode viajar, mas pode visitar muitos museus com tour virtual. Tem muita coisa bacana em alguns dos melhores museus do mundo. E com informação de alto nível para estudar arte de um jeito conveniente direto de casa.
  7. Outra boa pedida é ouvir os inúmeros podcasts sobre arte e outros assuntos relevantes que existem por aí. O FHOXCast é um desses canais com conteúdo exclusivo sobre fotografia, inovação, tecnologia e negócios.
  8. Outro site para imersão em conteúdos de negócios é o Sebrae ou Endeavor. Ambos com muita informação útil e de graça para você ficar por dentro de assuntos como empreendedorismo, gestão, vendas, finanças e afins.
  9. Estude e se prepare: a hora de se preparar para quando tudo isso passar é nesse período. Pois uma hora essa crise vai situação toda vai ficar para trás e aqueles que planejaram estarão mais preparados. Não é fácil, mas é isso ou desistir. O que você prefere?
  10. Qual a sua dica? Se enviar para a FHOX esse post será atualizado. thalita@fhox.com.br ou leo@fhox.com.br

https://www.facebook.com/danilosiqueira/posts/10222524962976840

Hora de união: 10 medidas concretas!
  1. Criar lives e transmissões on-line tanto dos fotógrafos referências quanto daqueles que tomarem a iniciativa de uma forma geral. O que você tem a dizer que pode ajudar seus colegas e a comunidade?
  2. Colaboração e coleguismo. A FHOX já notou várias iniciativas de suporte colaborativo. Fotógrafos de Florianópolis por exemplo lançaram uma campanha de ajuda entre os profissionais dando garantias para os clientes. Uma forma interessante de colaborar entre os próprios profissionais.
  3. Associações como  ABFRNABEFORM, ABRAFOTO estão atentas para ajudar e aproveitar a força do coletivo de uma categoria. É a chance para o fotógrafo se unir ou buscar a ajuda de uma dessas entidades para reforçar medidas em conjunto. Pois como diz o ditado: juntos somos mais fortes.
  4. Uma ideia sugerida entre fotógrafos é a criação de um voucher de suporte. O consumidor compra on-line, contribui e pode usar depois quando tudo melhorar. Uma medida on-line que pode ser feita agora e que pode contribuir com os profissionais que ficarão sem trabalho nas próximas semanas.
  5. Grupos de WhatsApp ou nas redes sociais são uma forma de troca de informações úteis que sempre ajuda os colegas. Se você não faz parte de uma dessas comunidades essa pode ser uma boa chance para criar uma e unir os colegas da sua região. Com um foco simples e nobre: troca de informações e colaboração em um tempo de incertezas.
  6. A Adobe abriu a assinatura especial sem custo para estudantes e educadores no pacote Creative Cloud. O tipo de iniciativa que dá alguma folga para uma parcela da população que terão inúmeros desafios financeiros nos próximos meses. Saiba mais aqui: Adobe
  7. A Alboom acaba de anunciar recursos gratuitos para ajudar os clientes a trabalhar melhor de casa e usar ferramentas em seu favor. Os recursos estarão disponíveis até 30 de abril de 2020 para todos. Saiba mais: https://www.alboompro.com
  8. Estimular com campanhas entre os clientes, fornecedores e toda sua rede de contatos sobre a importância do suporte que favoreça a todos. Estimulando a compra de fotos ou vouchers (mencionado no item 4). Esse papel é divulgação coletiva e terá o suporte de canais como a FHOX, dos laboratórios e de todos que atuam nesse mercado.
  9. A PPA é uma associação norte-americana com mais de um século de existência. Eles acabaram de abrir a inscrição para todos os interessados sem custo. Como forma de compartilhar conteúdos (muita coisa bacana de vendas, marketing). Tudo em inglês, mas dá para ativar o tradutor de um navegador como O Chrome por exemplo. Por que vale a pena? São mais de 1100 cursos de fotografia grátis e online. Saiba mais aqui: PPA
  10. Na Austrália a indústria de eventos criou um site para que os afetados contem como foi o impacto da Covid-19: https://ilostmygig.net.au/ até agora mais de 150 milhões de dólares em prejuízos gerados na indústria de eventos do país. Afetando mais de 380 mil profissionais de diferentes áreas (não só da fotografia). Essa iniciativa foi criada para alertar o governo daquele país e tentar buscar algum tipo de indenização ou suporte financeiro para essa indústria.
  11. Hora de ter iniciativa. Você tem alguma ideia, sugestão ou projeto para ajudar a comunidade nessa situação delicada? Mande para a gente que será um prazer ajudar a divulgar ou atualizar nesse post. Mande para thalita@fhox.com.br ou leo@fhox.com.br

https://www.instagram.com/p/B92n8K_Jjd3/

>> Leia também: um exercício R.U.M.O. grátis para você!