News 2 anos atrás | Redação

Como a impressão 3D está ajudando a fotografia analógica

As impressoras com tecnologia 3D estão sendo usadas para montar câmeras de médio formato

por Revista FHOX

Imprimir protótipos, produtos, criar projetos. Essas são algumas das funções das impressoras 3D. Os equipamentos se popularizam cada vez mais e questões como uso e preço estão cada vez mais acessíveis. Pois na fotografia não é diferente. Matérias recentes da Popular Photography e do CanalTech mostram que diversas empresas e fotógrafos estão investindo em inovações com essa tecnologia. A Hamm Camera Company criou bobinas de filme com impressão 3D. Faz todo o sentido as marcas investirem nisso. Até porque existe uma retomada na demanda da fotografia analógica. Mas na mesma medida, diversos fabricantes pararam de desenvolver produtos e serviços para esse mercado. Logo, imprimir peças e acessórios atende ao desejo de um nicho específico.

A Goodman One por exemplo é uma câmera de código aberto projetada por Dora Goodman e que tem todo o seu projeto disponível para download grátis no site.

Campanhas de financiamento coletivo também apostam e estimulam esse mercado. Caso da Standard Camera e da Cameradactyl. Ambas câmeras de médio formato que são leves, acessíveis e que tornam o formato mais disponível. O que os envolvidos nesses projetos parecem acreditar é que em um futuro próximo as pessoas vão criar cada vez mais suas próprias câmeras. Isso graças ao avanço ainda maior da disponibilidade das impressoras 3D e do compartilhamento de projetos completos na internet. Isso sem custo algum. Quem não quiser fazer, poderá comprar via sites como o Kickstarter. E é justamente aí que essas iniciativas faturam. O fato é que essa nova onda está revigorando o segmento da fotografia analógica no mercado internacional.

A Câmera Standard, projeto do fotógrafo Drew Nikonowicz, dá ao usuário a chance de também montar seu próprio equipamento. Ela custa 320 dólares no Kickstarter. Drew vai usar o dinheiro da venda para comprar novas impressoras e aos poucos está formando uma base de produção considerável. Um ofício de um apaixonado pelo assunto que combina uma câmera do século XIX com impressora 3D e personalização total.

Hoje, Drew leva dois dias para montar uma câmera. Com mais equipamentos ele poderá avançar consideravelmente na entrega.

O case da Cameradactyl é parecido. Trata-se de uma câmera 4×5 (grande formato) impressa em 3D criada por Evan Moses, que vem em cores vibrantes e também pode ser personalizada. Custa um pouco menos, 225 dólares.

A ideia Cameradactyl também é possibilitar ao fotógrafo ter uma câmera com um visual inusitado. Evan foi em um caminho contrário de Drew e investiu pesado em uma linha de produção com inúmeras impressoras. Ainda assim,  ele faz uma câmera por dia.

Saiba mais: https://www.popsci.com/3d-printing-is-changing-photography?dom=rss-default&src=syn#page-10

http://kck.st/2OaXyVA

>> Quer conhecer a nova FHOX de graça?  

Se você tem uma matéria, um relato, uma coluna, um tutorial ou qualquer outro tipo de conteúdo e quer contribuir com o FHOX.com.br, nos envie! Nosso departamento de redação vai analisar e, se aprovado, será publicado e assinado por você, respeitando todas as regras do direito autoral. Colabore clicando aqui: Você na FHOX.