News 2 anos atrás | Leo Saldanha

Charcoal Book Club: o primeiro clube de assinatura de photo books do mundo

Com uma proposta simples e nobre, o clube vai ajudar a promover a fotografia entre os assinantes

por Revista FHOX

O novo serviço foi destaque em matéria recente da Forbes. Sem custo de envio, com direito a acesso a fotolivros exclusivos, Charcoal Book Club é exclusivamente voltado para livros fotográficos. O lançamento oficial ocorre nessa semana (dia 8). A equipe é formada por curadores, fotógrafos e editores especialistas em fotografia que fazem a seleção das obras fotográficas que serão enviada aos assinantes. O clube diz atuar próximo de 250 editores independentes para oferecer photo books diferenciados. Entre as editoras parceiras estão Aperture, Mack, Steidl e Twin Palms. Além da assinatura, os interessados poderão comprar livros avulsos e obras raras fora de catálogo. Tudo (segundo a empresa) com preço especial.
No site do serviço eles brincam com a ideia de que o que é impresso morreu. “nossas vidas diárias são inundadas de pixels e imagens digitais, a maioria das quais não são intelectualmente nem criativamente estimulantes. Exigimos obras significativas que informem nossas mentes e inspirem nossas almas. Mas, infelizmente, as pessoas nem sempre têm acesso a grandes livrarias ou horas pesquisar. É aí que entramos”.

Charcoal Book Club foi fundado por Jesse Lenz, que trabalhou na Newsweek, New York Times e também fundou uma revista com enfoque mais nichado e documental que ele teve contato com a fotografia autoral. Se apaixonou pelo assunto e notou duas coisas: que era o tipo de coleção que custava muito caro e que o preço da remessa pelos correios tinha preço abusivo.
A proposta do The Charcoal Book Club é sofisticada. Oferecer aos assinantes só os melhores photo books do mundo. Entre os fotógrafos que estão na coleção estão Todd Hido, Josef Kouldka, Alec Soth, Greagory Halpern e Sebastião Salgado. E quanto custa a assinatura? O assinante anual com direito a 12 photo books vai pagar 58 dólares mensais. Ou ainda a opção de pagar trimestralmente um pouco mais caro. Além do mais, os assinantes poderão comprar livros avulsos com preços especais. A ideia do fundador é conseguir mil assinantes até novembro de 2018. A quantidade de assinantes é fundamental para que ele possa brigar por reedições impressas de fotolivros que saíram de impressão. Por enquanto, o serviço funcionará sem taxa de envio para os Estados Unidos, Reino Unido e Canadá. Uma belíssima ideia que teria tudo para fazer sucesso também no Brasil. Quem sabe alguém se inspira nesse case e lança algo parecido por aqui…
A propósito, você deve saber o quanto os clubes de assinatura estão bombando no Brasil e lá fora. Tem um pouco de tudo, desde serviço que envia meia e cueca. Até vinhos e fotos impressas. Caso do case de sucesso da Phosfato de Curitiba (que cresce 30% ao mês) com um serviço diferenciado e o primeiro do Brasil com assinatura para receber fotos impressas em casa.

https://charcoalbookclub.com/