News 1 ano atrás | Redação

Bombando na internet: morte encomendada por selfie

Fotógrafo chinês morreu ao topar um desafio bem arriscado em busca de selfies "espetaculares".

por Revista FHOX

O ex-dublê de filmes, Wu Yongning (26), morreu no mês passado ao cair de um prédio de mais de 60 andares. Ele topou encarar o desafio de ficar pendurado no arranha-céu na cidade chinesa de Changsha. O patrocinador da ação maluca foi a própria empresa que administra o edifício. Pior é que o acidente fatal foi gravado em vídeo. A notícia apareceu na tevê, sites e portais. Tanto daqui quanto de fora.

A mídia chinesa diz que ele estava tentando levantar dinheiro para ajudar a família e pagar a festa de casamento. No fim, o fotógrafo morreu por conta de 15 mil dólares para fazer maluquices no topo de um prédio.

Vale lembrar que não é um caso isolado: são frequentes os posts de aventureiros em torres, montanhas e outros lugares perigosos. Não à toa, dados mostram que já morre mais gente em acidentes com selfies do que por ataques de tubarão.

A Ásia é campeã nessas mortes, com a Índia em primeiro lugar em números de mortes por selfie. São cada vez mais frequentes mortes de celebridades de autorretratos e vídeos em busca de curtidas e compartilhamento. Na verdade, não buscam só fama já que esse tipo de “trabalho” também atrai alguns anunciantes. Sinal dos tempos.

>> A selfie mais arriscada do mundo

O vídeo abaixo traz a última gravação com a morte do chinês (atenção: cenas fortes!). 

Se você tem uma matéria, um relato, uma coluna, um tutorial ou qualquer outro tipo de conteúdo e quer contribuir com o FHOX.com.br, nos envie! Nosso departamento de redação vai analisar e, se aprovado, será publicado e assinado por você, respeitando todas as regras do direito autoral. Colabore clicando aqui: Você na FHOX.