Moda News 10 meses atrás | Jucelene Oliveira

Beleza não tem idade: movimento ageless toma conta das passarelas e campanhas publicitárias

Conheça os modelos mais velhos que estão fazendo sucesso na moda.

por Revista FHOX

x72068199_Models-present-creations-by-Guo-Pei-during-the-2017-spring-summer-Haute-Couture-collect.jpg.pagespeed.ic.b2NeHG_SBM

Em janeiro, Carmen Dell’Orefice desfilou a alta-costura de Guo Pei, em Paris – ALAIN JOCARD/AFP

A americana Lauren Hutton, 73 anos, é a capa da edição de outubro da “Vogue” italiana — na verdade, ela aparece em três, todas clicadas por Steven Klein. Não faz tanto tempo assim, Lauren estampava a campanha de verão 2017 da Bottega Veneta e da linha de underwear da Calvin Klein. A modelo e atriz é apenas um exemplo da mudança de postura da moda, que vem ampliando seus horizontes e deixando de pregar o mito da juventude eterna — ainda que devagarinho.x72067516_EllusSPFWN43Marco2017foto-Ze-TakahashiFOTOSITE.jpg.pagespeed.ic.KUe081SDzW

Marcos Luko na Ellus – Zé Takahashi / Zé Takahashi / FOTOSITE

Os mocinhos ainda são maioria em desfiles, editoriais e anúncios. Mas eles, de fato, não estão sozinhos. Na última campanha da Ellus, por exemplo, o catarinense Jorge Gelati, 52, aparece ao lado de Carol Trentini e outros jovens. Na São Paulo Fashion Week, em agosto, os estilistas Ronaldo Fraga e Gloria Coelho montaram um elenco com pessoas de idades variadas. Raquel Davidowicz convidou novamente sua prima, Suzana Kertzer, 67, para vestir as criações de sua UMA, repetindo o burburinho de março. Lá fora, Carmen Dell’Orefice, 86, é recrutada tanto para vender as roupas da H&M quanto da alta-costura. O desfile de verão 2018 da Versace, uma homenagem ao legado de Gianni Versace, morto em 1997, teve como ponto alto a entrada das supermodelos Cindy Crawford (51), Naomi Campbell (47), Helena Christensen (48), Claudia Schiffer (47) e Carla Bruni (49), todas lindíssimas em vestidos metalizados. A icônica Veruschka, 78, acabou de fazer fotos para a Acne Studios. O movimento ageless não é coisa passageira. Veio para ficar.

— Para quem se liga em números, eu diria que a presença de pessoas mais velhas tem a ver com a pressão econômica, com o cenário de crise. Para os otimistas, como eu, que pensam a moda também como micropolítica, é o momento de falar sobre diversidade e representatividade. Sem contar que a população está vivendo mais e permanecendo mais tempo no mercado de trabalho. Nasce o novo velho — explica o estilista mineiro Ronaldo Fraga.
x72067468_Model-presents-a-creation-from-the-Ronaldo-Fraga-collection-during-Sao-Paulo-Fashion-We.jpg.pagespeed.ic.OY-W4pULOC“Modelos” de todas as idades no verão 2018 de Ronaldo Fraga – PAULO WHITAKER/Reuters

Raquel Davidowicz diz que a UMA se empenha para atender a todas as gerações:

— As mulheres mais velhas não querem ficar estagnadas. Pelo contrário. Gostam de arrojar e são desprendidas. Quando coloco a Suzana na passarela, isso faz com que uma grande parte da nossa clientela se identifique, o que é muito positivo.

— O mundo está mudando, que bom! Nunca imaginei estar na São Paulo Fashion Week. Em março, na minha estreia, achei que as modelos iriam rir de mim, que seria esnobada por elas. Não foi o que aconteceu. As garotas conversavam comigo. Mas confesso que pensei em desistir na fila, minutos antes da apresentação começar. Tinha certeza que iria desmaiar no meio do show. Mas acabei vencendo o medo — conta Suzana. — Esse movimento também tem um lado financeiro. Pessoas mais velhas consomem. Logo, essa faixa etária precisa ser prestigiada.
x72067353_UMASPFW-N44Verao2018foto-Ze-TakahashiFOTOSITE.jpg.pagespeed.ic.UL7J3DzNOX

Suzana Kertzer na passarela de verão 2018 da UMA – Zé Takahashi / Zé Takahashi/FOTOSITE

Na temporada de verão 2018 masculina de Milão, as grifes Billionaire e Daks (só para citar dois casos recentes) seguiram por este caminho ao escalar modelos mais velhos, entre eles o nosso Jorge Gelati. No Brasil, Marcos Luko, 48, foi convocado este ano pelas marcas Ellus e Reserva e fez o maior sucesso.

— Não tenho problema de ser mais experiente e trabalhar com moda, que está em minha essência. O que sinto falta é de ver nas vitrines peças mais bacanas para comprarmos. Temos poucas opções. A maioria das marcas masculinas é careta. Idade e estilo não são antônimos. Veja os caras das bandas gringas de rock. Eles são velhos e superestilosos. Nós, homens com mais caminhada, precisamos de representatividade — aponta Marcos.
x72067067_EllusSPFWN43Marco2017foto-Ze-TakahashiFOTOSITE.jpg.pagespeed.ic.NpZu8MKcMQ

Jorge Gelati no desfile da Ellus – Zé Takahashi / Zé Takahashi / FOTOSITE

Na semana de moda de Paris, que chegou ao fim na terça-feira, Jane Fonda, 79, e Helen Mirren, 72, brilharam no desfile da L’Oréal, na Champs-Élysées. Helen, aliás, foi capa de setembro da “Allure” e criticou o uso da palavra “anti-idade” em produtos de beleza: “Nós sabemos que estamos ficando mais velhas. Você apenas quer parecer e se sentir tão bem quanto possível todos os dias”, disse a atriz à publicação.
x72066990_Model-Lauren-Hutton-presents-a-creation-at-the-Bottega-Veneta-fashion-show-during-Milan.jpg.pagespeed.ic.HxqulZpcUx

Lauren Hutton no desfile de verão 2017 da Bottega Veneta – Alessandro Garofalo / Reuters

O movimento ageless, a bem da verdade, não é algo do ano passado para cá. Sem ir muito longe, a Céline se apoiou na imagem da ensaísta e romancista americana Joan Didion, hoje com 82 anos, em sua campanha de verão 2015. Em 2012, a grife brasileira Sergio K. fez barulho ao escolher a americana Carmen Dell’Orefice como sua garota-propaganda. Nas provocantes fotos assinadas por Terry Richardson, ela dividia a cena com os gêmeos Márcio e Marcos Patriota.

— Na minha opinião, este movimento veio para ficar — observa Raquel Davidowicz.