Participe do SIM. Semana do Imaginário Materno!

Arte nos detalhes: como tirar boas fotografias de flores

(Crédito: iStock)

Oferecendo universo de possibilidades, flores, se bem estudadas, são assunto capaz de gerar belíssimas capturas

A natureza fornece em todo canto exuberantes paisagens merecedoras de atenção, cheias de assuntos com potencial para ensaios belos e conceituados. As flores, em toda sua imensa variedade, são um elemento da natureza que pode render trabalhos de qualidade, bons treinos para o olhar e para a sensibilidade.

Mas como garantir boas fotografias desse assunto tão cheio de nuances e detalhes? Um equipamento de qualidade é o primeiro passo, mas é necessário também uma série de noções e conhecimentos sobre os fatores que garantem uma captura digna desse assunto.

Local

A começar pelo local. Antes de encontrar as flores mais bonitas e mais interessantes, é preciso saber onde procurá-las. Jardins botânicos estão no topo da lista de lugares onde encontrar as mais variadas flores; afinal, eles são voltados para tal.

Nos jardins, com um olhar moderadamente aguçado, já é possível encontrar cores interessantes e visualizar composições que valem a captura. Mas os jardins não são os únicos lugares onde encontrá-las. Parques e reservas também oferecem inúmeras variedades, e até mesmo em praças e no meio do concreto da cidade é possível encontrar boas fotografias esperando para serem tiradas.

Lentes

As lentes, como todo fotógrafo já sabe, são uma parte essencial da captura. No caso das flores, que são assuntos pequenos e cheios de detalhes, as melhores lentes para a captura são as macro.

Lentes de 50 mm a 200 mm proporcionam um zoom capaz de registrar até as menores texturas de pétalas e folhas, expandindo a percepção e captando detalhes impossíveis de se enxergar a olho nu.

(Crédito: iStock)

Profundidade de campo

Mas as lentes macro não oferecem apenas um zoom nos detalhes, como também possibilitam a exploração da profundidade de campo. Utilizando uma abertura alta do diafragma – de F2.8 para cima –, cria-se um desfoque no plano de fundo, que valoriza o assunto e altera a percepção de quem observa a imagem.

Usando esse desfoque é possível manipular a luz, de maneira a criar interessantes composições, passando com facilidade sentimentos envolventes.

Hora do dia

E a luz, acima de tudo, deve ser observada com atenção. Diferentes horas do dia trazem diferentes condições de iluminação, que, em uma modalidade de fotografia tão delicada, podem afetar significativamente a captura.

A luz difusa do começo do dia e das sombras naturais é indicada para capturar com maior qualidade os detalhes, mas muitas composições podem ser feitas com a escolha de horas específicas, como a famosa golden hour ou a blue hour. O ângulo do sol nesses horários cria cores que acentuam e dão contraste às pétalas.

Por exemplo: rosas durante a blue hour podem apresentar tons de azul complementares ao vermelho das pétalas, e lírios-da-paz, durante a golden hour, podem absorver os dourados e as luzes quentes quase mágicas.

(Crédito: iStock)

Estabilização

Por último, manter a estabilidade do seu enquadramento é importantíssimo, uma vez que as flores são facilmente afetadas pelo vento. Mantenha sempre uma velocidade alta do obturador e tenha um tripé em mãos.

Bônus: regras de composição

As flores, como parte da natureza, também merecem um tratamento detalhado na composição. Tendo um bom domínio da regra dos terços, de pontos de interesse e da proporção áurea, é possível fazer imagens ainda mais espetaculares.

A natureza abriga uma enorme variedade de assuntos, e as flores são um excelente ponto de partida para quem deseja aperfeiçoar o seu olhar.