News 2 meses atrás | Leo Saldanha

A Rede dos Produtores Culturais da Fotografia no Brasil e sua Presidente

Os desafios de uma categoria de profissionais que parecem não existir para o governo atual

por Revista FHOX

Isabel Gouvêa é mestre em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia em 2008 e fotógrafa formada pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo em 1976, morando em Salvador desde 1978. Sua extensa contribuição no campo das artes e da cultura na Bahia e na fotografia brasileira, a levou a assumir uma posição de liderança na RPCFB desde o ano passado. Como presidente da entidade, Isabel encampa a função num dos momentos mais delicados da história da cultura brasileira. O setor vem sofrendo um desmonte paulatino desde o governo Temer, mas nada se compara a gestão atual. Além de extinguir o Ministério da Cultura, a gestão do Presidente Jair Bolsonaro vem mostrando todo o seu desinteresse e desapreço pelas questões culturais, assim com o faz com o meio ambiente e a própria pandemia. Nesse contexto, o trabalho de Isabel a frente da Rede tem sido o de combater o descaso de um ministério que virou secretaria e que está indo para as mãos de um ator de malhação, completamente inapto para a função. Uma das formas de fazê-lo tem sido nas articulações para a aprovação da Lei de Emergência Cultural, que foi aprovado pelo Congresso e pelo Senado na última semana.

 

A Rede dos Produtores Culturais da Fotografia no Brasil surgiu em 2010 e desde então vem buscando uma atuação no campo do levantamento de dados, no apoio a encontros nacionais e regionais e na interlocução nas esferas municipal, estadual e federal (quando possível) tudo voltado sempre para facilitar e ampliar o trabalho não de fotógrafos, mas de quem faz produção cultural com fotografia, como por exemplo editores de livros, organizadores e produtores de exposições, festivais e intervenções. “Muitos fotógrafos ficam chateados por não poderem fazer parte da Rede, mas o escopo da sua atuação enquanto entidade é justamente a produção cultural no âmbito da fotografia”, explica Isabel. Para conhecer melhor a atuação da Rede e suas iniciativas, você pode assistir a Live com Isabel nesta quinta-feira as 16 horas, ou a gravação que vai ficar disponível no IGTV do @fhoxonline.

Sobre Isabel Gouvêa

Mestre em Artes Visuais pela Universidade Federal da Bahia em 2008 e fotógrafa formada pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo em 1976, morando em Salvador desde 1978. 

Membro ativo do Movimento FOTOBAHIA entre os anos de 1979 a 1986, organizando e participando de mostras, oficinas e debates. Trabalhou como fotógrafa do inventário para tombamento do Centro Histórico de Salvador pelo Instituto de Patrimônio Histórico da Bahia.

Em dezembro de 1980 passa a trabalhar na Fundação Cultural do Estado da BA, onde coordenou a pesquisa fotográfica do Projeto História dos Bairros de Salvador. De maio de 1987 até setembro de 2016, atuou no setor de Multimeios do Teatro Castro Alves, documentando a programação artística e acompanhamento diretamente o Balé do TCA. Trabalhou por mais de duas décadas como freelancer acompanhando projetos de dança e teatro. 

Realizou nos últimos anos duas grandes mostras individuais, apresentando sua ampla pesquisa fotográfica em importantes centros culturais de Salvador, São Paulo e Brasília: CAIXA CULTURAL, mostra Encantamento (2008 – 2009) e Centro Cultural CORREIOS, mostra Trajetos e Evocações – 35 Anos da Obra de Isabel Gouvêa (2010).  

Desenvolve trabalhos em arte e comunicação junto à ONG CIPÓ-Comunicação Interativa, onde realizou a pesquisa, publicação e curadoria da mostra Design Popular da Bahia, apresentada em Salvador, São Paulo, Barcelona e Milão. Coordenou a Oi Kabum! Escola de Arte e Tecnologia de Salvador, programa de formação nas linguagens de vídeo, design gráfico, fotografia e computação gráfica. Realizou a coordenação geral dos Projetos: Festas Populares de Salvador e Dois de Julho: Resistência e Identidade Popular na Bahia e a curadoria das exposições, apresentadas em Centros Culturais de Salvador, Cachoeira, Barcelona e New Orleans. 

Integra o Fórum dos Produtores Culturais da Fotografia Baiana e compôs a diretoria nacional da gestão 2017-2019 e eleita como presidente da gestão 2019-2022 da Rede de Produtores Culturais da Fotografia no Brasil – RPCFB. 

Link blog fotografia: http://isabelgouvea.blogspot.com.br/