Conheça o ImageCon - Conferência do Imaginário

A nova moda de fotografar a moda: além da estética padrão

Com o passar dos anos, concepção da fotografia publicitária tem mudado dentro das campanhas de moda

A moda vem se reinventando ao longo dos anos, seja pela estética, pela sustentabilidade, por novos conceitos aplicados à sociedade ou mesmo por tendências que vêm e vão. Uma das grandes vantagens que ela traz, na verdade, é uma das mais óbvias também: a moda é arte, e, por ser arte, é possível transformá-la constantemente.

(Crédito: Instagram/@takeuchiss)

Um dos exemplos mais notáveis disso é a fotografia. Se antes as fotos de revistas de moda eram preenchidas por homens e mulheres brancos, magros, jovens e com fundos brancos para evidenciar as peças de roupas — como cardigans, blusas e calças —, hoje todo esse conceito passou por uma repaginação. E isso conta muito pelo contexto histórico.

O padrão de beleza tem mudado para se tornar mais real e acessível, condizente com corpos e realidades que são mais comuns na sociedade. E a fotografia tem acompanhado esse processo inclusivo: são cada vez mais comuns fotos de modelos gordas, pretas, asiáticas, LGBTQI+, deficientes físicas, portadoras de vitiligo, etc. Desta forma, além de incentivar a inclusão dentro das marcas de roupas e torná-las acessíveis a todos, há também uma mudança expressiva na autoimagem dessas pessoas.

Mistura entre fotografia e arte 

Ainda dentro do contexto das fotos mais inclusivas e diferentes do padrão de fundo branco, uma nova linha de fotografia de moda está surgindo no meio. Mais condizente com a realidade, são cada vez mais aceitas as fotografias sem edição do corpo das modelos, com cabelos e peles naturais. No entanto, seguindo outra linha, também estão mais comuns as fotos mais artísticas, que têm integrado o mundo da moda e foram muito bem aceitas.

As fotografias artísticas misturam elementos da paisagem com a arte, que pode ser tanto produzida em uma maquiagem, ou mesmo representada em um cenário diferente. Se antes a publicidade trabalhava com a perfeição e com a estética do padrão, hoje a palavra é liberdade, seja de expressão ou de criação, na qual os fotógrafos usam e abusam da criatividade, sem freios e receios para criar novas campanhas.

Entre os fotógrafos que têm seguido esta nova guinada da moda, é possível destacar nomes que trouxeram campanhas bastante chamativas. São exemplos Cai Ramalho, Rafael Pavarotti, Mar+Vin, Takeuchiss e Mariana Maltoni.

(Crédito: Instagram/@cairamalho)

Gênero, feminilidade e masculinidade

Para além da fotografia como arte, tem crescido a incorporação de posicionamentos políticos por parte das empresas de moda dentro de suas campanhas. É o caso do apoio à luta feminista, à causa LGBTQI+ e ao combate ao machismo. Sendo assim, há ainda mais incentivo para que modelos transsexuais se apresentem nas capas de revistas famosas, bem como modelos andróginos, que contribuem para a compreensão e aceitação das pessoas não-binárias.