News 3 anos atrás | Redação

Vivian Maier: A criatividade antes das selfies

Os autorretratos de uma personalidade oculta que ganhou visibilidade apenas após a sua morte

por Revista FHOX

Vivian-Maier6

Vivian Maier mudou-se para os Estados Unidos e trabalhou como babá por mais de 40 anos. Durante todo esse tempo, a fotógrafa percorria as ruas da cidade de Nova Iorque e registrava momentos do cotidiano, com a sua Rolleiflex.

Foram mais de 150 mil fotografias tiradas de diversas partes do mundo que Vivian visitou em suas viagens. Ela tinha como objetivo retratar sua própria visão de mundo, como mulher independente e liberal, no século XX.

Quando não estava cuidando de crianças, Vivian percorria a cidade em busca de novas histórias, novos retratos. Essas fotografias porém, ficaram guardadas até o início do século XXI, quando, já bem idosa e precisando de ajuda financeira, a fotógrafa vendeu seus negativos a um antiquário.

Em 2007, John Maloof descobriu as fotografias e tentou impulsioná-las para dar maior visibilidade, mas Vivian Maier só passou a ser reconhecida após a sua morte, decorrente de lesões que deixaram algumas sequelas após um tombo em que bateu a cabeça, em 2009.

Hoje, há um grande acervo com as obras de Vivian e todo o seu material passou também a ser reproduzido na Internet, como o ensaio que a fotógrafa fez focando-se em autorretratos espelhados, em uma época anterior às selfies e até mesmo a internet.