2 semanas atrás | Leo Saldanha

Um estúdio com apelo “Instagram” para influenciadores digitais

Village Studio é um negócio que começou em 2018 em Nova York e que agora se expande para Los Angeles. O conceito é simples: um estúdio que serve para gerar conteúdos para marcas e influenciadores

por Revista FHOX
Fotos: Village Studio

Village Studio começou em 2018 em Nova York. Com enfoque em influenciadores e marcas que precisam de “espaços instagramáveis” para anúncios em posts e conteúdos promocionais nas redes sociais. Claramente inspirado no negócio do WeWork, só que em uma versão exclusiva para os instagrammers e afins. A empresa está expandindo o negócio que terá dois novos espaços: um novo estúdio (uma casa) em Los Angeles e mais um ponto na região de Nova York, no bairro do Brooklyn. Nesse último será um loft espaçoso. O modelo de negócio segue a mesma linha do WeWork. A marca ou influenciador pode locar o espaço on-line e definir o tempo e de que local precisa dentro do estúdio.

Trata-se de mais um exemplo desses novos negócios que crescem com o avanço do Instagram e do poder das redes sociais. O Village Studio garante manter os locais modernos, sempre renovados e com a manutenção sempre em dia. O fundador da empresa, Vickie Segar, disse em uma matéria recente para a Business Insider que o objetivo foi criar uma realidade alternativa instagramável. Village Studio surgiu de uma agência de influenciadores do próprio Segar. O que é conhecido como estratégia de marketing lateral. Já que se a agência cuidava de negociar com influenciadores digitais, porque não ter um local que pudesse ser locado para eles. E assim, além de atender os próprios clientes, ter também uma forma de atrair novos contatos e gerar mais relacionamento e, portanto, mais negócios.

Segar disse para a BI que os influenciadores muitas vezes sofrem para encontrar pontos com estética atraente ou com itens que funcionem bem para a criação de conteúdo. Como alternativa, os influenciadores são obrigados muitas vezes a locar espaços caros e até quartos de hotel para conseguir uma localização perfeita para gravar ou fotografar. Logo, essa ideia do Village Studio parece surgir como uma resposta para uma demanda latente. A previsão é que esse mercado da influência gere até 2022 15 bilhões de dólares em faturamento (nos EUA).

O primeiro estúdio foi inaugurado no sofisticado e moderninho bairro do SoHo em NY. De lá para cá o ponto faz grande sucesso. Em três meses aberto já estava dando lucro e com agenda lotada. Os novos estúdios terão um design aprimorado e com estética variada para ajudar nas campanhas e gravações dos clientes. O que faz um espaço instagramável? Segundo Segar é fundamental uma janela grande com luz natural. Paredes limpas e claras, espaços abertos que permitem fotografar dos mais variados ângulos. E claro, acessórios e apetrechos de decoração que combinem com o ambiente. E que sejam trocados com frequência. “Tudo tem que estar perfeito o tempo todo” diz Segar sobre o negócio. Ele disse para o artigo da BI que a inspiração visual dos estúdios é feminina. Com detalhes em branco e paredes sem elementos para distrair. Nos últimos tempos os estúdios têm servido também para sessões para fotografar capas de revistas com celebridades de Hollywood.

Comece 2020 no R.U.M.O. certo – Conheça a atividade da ENF que vai ajudar você em seus negócios

O novo estúdio no bairro do Brooklyn tem um visual inspirado na Califórnia. E um pouco menos clean do que a outra unidade nova iorquina. Com tons um pouco mais sombrios e neutros que segundo Segar atrai mais as marcas. Importante destacar que os clientes podem usar uma série de “props” para decorar de forma específica na hora de fotografar ou filmar. A ideia é justamente de oferecer um local que pode ter o visual alterado a qualquer momento. Para tanto, existe uma sala nesses locais só com elementos decorativos para que o cliente escolha na hora. No espaço do Brooklyn por exemplo tem até cozinha para sessões com comida e afins. Claro, existe salas de maquiagem e todo o aparato para quem precisa dar um toque na aparência antes de fotografar. Todos os estúdios da marca são grandes com múltiplos ambientes e tudo é customizável de acordo com a necessidade de cada consumidor. “não se trata do estúdio e sim do conteúdo que o cliente precisa fazer ali” diz Segar.

O fato é que a influência do Instagram e das redes sociais parece avançar com ainda mais força nos negócios do mundo real. E o Village Studios é mais uma prova disso. Um empreendimento bem-sucedido que parte de uma premissa: a de que o negócio dos influenciadores e das marcas nas redes sociais precisa ser profissionalizado. Hoje 80% dos clientes da Village Studios são empresas que pagam entre 3 e 15 mil dólares dependendo do perfil do trabalho. Já os influenciadores digitais que representam os outros 20% dos agendamentos não pagam nada pelo espaço. Justamente pelo real poder de influenciar as marcas que acabam sendo atraídas no próprio trabalho feitos pelos instagrammers, YouTubers e outros. Deve ser por isso que a lista de espera para esses profissionais é enorme com mails de mil clientes esperando sua vez. Saiba mais: https://villagestudio.com/

Tanto no R.U.M.O. quanto na atividade Marketing 4.0 existe uma abordagem sobre a importância do ponto no composto do marketing de um negócio de fotografia. São assuntos que foram ilustrados em matérias recentes da FHOX e que merecem sua atenção. Veja abaixo os links:

Presença e Parceria: uma combinação efetiva

Snap 151: mais um estúdio para Instagram

Wall Crawl: um estúdio para a geração Instagram