Participe do SIM. Semana do Imaginário Materno!

Relonch: câmera grátis e serviço que só cobra por foto tratada

landscape

A FHOX e outros sites já deram sobre a Relonch (startup de NY). Trata-se de uma empresa que surgiu no ano passado com uma ideia ousada: você não paga nada pela câmera e só pelas fotos que você comprar. As imagens são tratadas. O cliente não vê as fotos na hora. A câmera Relonch só tem um botão e mais nada. Funciona assim: você passa na loja da Relonch na Califórnia (Palo Alto), pega sua câmera grátis e depois usa até devolver. Eles mesmos criaram uma boa definição para o “business”: a câmera como serviço! Ou você pode agendar a retirada do equipamento pelo site. https://relonch.com/

`Relonch Always Grab a Camera from Relonch on Vimeo.

Cada vez que o usuário clica a imagem é enviada via conexão 4G para a empresa. As fotos são tratadas e enviadas de volta no dia seguinte. Preço: 1 dólar. Uma matéria recente da Época Negócios destacou que a Relonch vai comprar briga pela ideia de vender fotografia dessa maneira. Será mesmo? Está claro que a marca se inspirou na Kodak e no conceito de você apertar um botão e deixar a empresa fazer o resto. A parte interessante é não cobrar pela câmera, outra parte intrigante é não ter tela e nenhum ajuste manual. Bom para amadores e entusiastas.

A proposta bate de frente com a febre da fotografia com smartphones. E oferece ainda o antigo apelo do filme fotográficopois você não vê o resultado na hora. O tratamento das imagens não é feito por um time de designers ou editores de imagem, na verdade é tudo feito via algoritmo. Caso o usuário esteja em um local isolado (sem conexão) a câmera armazena até 4 mil fotos. Assim que as fotos são enviadas pelo 4G vão para a nuvem e passam pelo sofisticado sistema de tratamento automático.

No dia seguinte o usuário recebe as imagens no app da Relonch para smartphone ou tablet (onde o usuário escolhe e paga pelas fotos). Outro dado importante: a Relonch também traz uma curadoria com inteligência artificial para sugerir as melhores fotograffias. A galeria do aplicativo então só mostra essa seleção.


A câmera é coberta com uma capa de couro que só deixa exposto o botão. Nem cartão de memória dá para usar. Parece que a marca debaixo da capa de couro é uma câmera Samsung conectada. Como a Samsung abandonou a fotografia é capaz da Relonch pegar outro parceiro de câmera logo mais. No site da Relonch você pode reservar sua câmera grátis. Basta inserir para onde vai e quando vai e pegar e devolver. Quando foi lançada, a Relonch teria um plano de assinatura com custo de 100 dólares mensais (1200 dólares por ano). O que na minha visão não tornava o modelo de negócio muito viável. Parece que os donos da empresa entenderam isso e decidiram seguir por um caminho mais interessante: oferecer a câmera de graça. Eles preferiram trabalhar com o conceito de emprestar o dispositivo e cobrar só pelas fotos escolhidas. Um dos CEOs disse que as pessoas comuns não tem mais paciência para ficar escolhendo fotos e que esse serviço simplifica a vida de quem quer belas fotos para imprimir por exemplo.

Você pode achar a ideia absurda e nem ver futuro nesse negócio. Mas os empreendedores por trás da Relonch estão expandindo. Primeior saiu o site, depois veio a loja física na Califórnia e em 2018 adivinha? Já estão previstas várias lojas da Relonch. No site eles avisaram que estarão com pontos próprio em aeroportos de Nova York, San Francisco, Los Angeles, Boston, Miami e Chicago.

A propósito, a matéria recente da Yashica com a nova câmera com filme digital causou bastante polêmica. O fato é que tanto esse case da Relonch quanto a novidade da Yashica são apostas para uma nova fase. Uma alguém acerta e o mercado fotográfico se transforma de novo…

>> Yashica lança câmera com filme digital