Conheça o ImageCon - Conferência do Imaginário

Por que você precisa de um produto em 2021?

2020 virou tudo de cabeça para baixo. Agora adivinha qual foi um dos elementos que mais ajudou a segurar as pontas para negócios de fotografia nesse período? a foto no papel. Ou seja, o produto. Aqui é bom pontuar para deixar bem claro: não é qualquer produto. Aqueles que se diferenciam e investiram em itens com algum apelo distinto tiveram resultados melhores do que os que seguiram na linha do “mais do mesmo”. Como assim? Um produto mais elaborado é melhor do que uma mera foto impressa, por exemplo. Em outras postagens mostramos que dilemas de negócio de fotografia quando o assunto é produto. 

Foto profissional grátis de ambiente de trabalho, aparelhos, apartamento

Tem os que não tem produto. Esses são os fotógrafos que acreditam (ou desconhecem) o poder da foto no papel para fazer a diferença no faturamento. Aliás, os fotógrafos que começam (e muitas vezes também os mais experientes) costumam ficar sem produto e só investindo na fotografia. “Ah, o cliente quer só arquivo” ou “ah, dá trabalho e eles não querem pagar”. A culpa nesse caso fica em dois pontos: desconhecimento e a suposta demanda de mercado. Então como é que fotógrafos e negócios de fotografia que estão bem sempre fazem uso do produto para se destacarem no mercado?

person holding photo lot

O fotógrafo ou empreendedor de fotografia que tem “produto mais do mesmo”. Nesse caso é melhor do que a opção anterior, mas quando pressionado pelo mercado acaba indo para o preço baixo. A onda do mais do mesmo ocorre no estilo fotográfico, nos produtos, nas estratégias de divulgação e até na identidade. “Se deu certo para fulano vou fazer igual…”. Será que deu certo mesmo ou o fulano de tal também copiou alguém? Aqui a vantagem é que a evolução para um produto diferenciado pode ser mais fácil. O empreendedor pode evoluir sua oferta e já tem contato com a impressão como parte do negócio, mesmo que no estilo “mais do mesmo”. 

Os que têm produto diferenciado são aqueles que têm uma identidade definida. Mais do que isso, esses fotógrafos ou negócios de foto conseguem lançar e relançar de tempos em tempos novos álbuns, evoluir formatos, pensar em tecnologias e afins. Valorizam e divulgam a foto no papel e tem isso em destaque no site e nas redes sociais. Esses profissionais entenderam que produto é item crucial e básico do marketing na fotografia. E o mais importante: é o legado que fica para os clientes. Ou melhor, é a personificação do trabalho de forma física. Adicionando valor e ajudando até na divulgação no boca a boca. Renovação, inquietação e criatividade costumam acompanhar esse perfil no mercado. 

assorted paintings mounted on white wall

Logo chegamos a pergunta que é o título desse texto. Por que o produto é importante em 2021? Ele sempre foi. Algo que tem seu valor na família que tem álbuns por gerações ou no porta-retrato com uma foto única daquele familiar que não está mais presente. O que mudou? Agora a fotografia é item que vai mais além do que a memória. Pode ser como ferramenta de auto-estima, pertencimento e até status. O caráter legado segue como principal, com a distinção de que agora podemos fazer tudo com foto com um nível de personalização nunca antes visto e com a qualidade que nossos antepassados nunca tiveram à disposição. Some a isso as questões de tecnologia e colaboração e temos a possibilidade de criar produtos marcantes e que são parte de uma experiência para as pessoas. O produto sempre foi importante, mas em 2021 e nos próximos anos será mais do que diferencial para quem atua na fotografia. Em um mundo tão digital, ter a foto no papel é mais do que ironia analógica para quem vive da fotografia. Questão de sobrevivência. 

Quer criar ou renovar seu produto para 2021? Então conheça os dois produtos da Escola de Negócios FHOX que podem te ajudar. Para quem quer ler: Guia Foto+Produto. Para quem quer assistir: curso online Foto+Produto.