3 semanas atrás | Leo Saldanha

Os fundamentos da falta de marketing

São muito comuns os problemas que negócios de foto tem na hora de fazer o marketing na fotografia. Um dos clássicos é a questão do preço e outro cada vez mais comum é o ego acima de tudo

por Revista FHOX

Era uma vez um fotógrafo. Ele comprou uma câmera e fez um site. Antes disso investiu em cursos e aprendeu tudo o que precisava para ser fotógrafo dos bons. Virou um grande artista e com portfólio perfeito. Então em um belo dia ele se dá conta que não sabe como atrair clientes. Logo ele passa para o caminho que boa parte escolhe e vai para a divulgação e preço. Primeiro promovendo o trabalho com marketing digital até notar que não tem resultados e aí entra a estratégia do precinho. Fosse só isso já seria complicado o bastante. Some aí falta de consistência, de visão do próprio negócio e da nova dinâmica do mercado. No fundo ele só quer fotografar, mas não entende que sem clientes não tem cliques. Se marketing na essência é atrair e manter clientes, como é então que um fotógrafo vai viver de fotografia sem esse ponto-chave. O diagrama acima aborda muitos dos recursos costumeiros de quem segue a cartilha da falta de fundamentos no marketing. Paixão que seria bom vira inimiga já que “se amo o que eu faço posso cobrar pouco”. Seguir o padrão do que os colegas fazem, promoções mirabolantes e quase sempre esse fotógrafo não tem um produto (físico) ou quando tem é do tipo mais do mesmo. Se você ficou ofendido com alguns dos pontos acima pode ser que pratique alguns dos fundamentos da “falta de marketing”. Algo que leva ao não marketing ou anti-marketing. O que na prática representa só uma coisa: Oferecer o que todos oferecem pelo menor preço possível.

A fotografia já vinha de uma crise anterior. Com oferta muito grande o que levou o mercado a saturação. Onde existe muita oferta o que acontece mesmo? com a pandemia a tendência do preço cair só se intensificou e vale para todas as áreas. Se fizer parte de uma estratégia e da abordagem do negócio para essa fase ok. Até porque esse é o momento de fazer ajustes e de quem sabe seguir um novo posicionamento de entregar menos por menos. Isso é visto em várias frentes da fotografia. Aniversários curtos só com parabéns e transmissão ao vivo. Pouca gente, pouco tempo e o fotógrafo pode “cobrar menos”. Casamentos e outros eventos não parece seguir por uma linha diferente. Pesquisas recentes envolvendo marcas e instituições sérias mostram que o consumo parte agora para o “território da confiança” e esse será o papel do fotógrafo ou qualquer negócio de foto que queira atender famílias com suas memórias tanto na cobertura quanto na entrega dos produtos. Confiança pressupõe afinidade, relacionamento e um contato que vai além só do “venha aqui me comprar” e essa nova função do marketing mostra-se ainda mais desafiadora.

Propósito já vinha como algo importante. Os detratores dirão que é coisa de jargão. Na prática contudo é um caminho sem volta para o marketing que faz sentido para esses tempos de Covid-19. Saber quem você é para criar um marketing que atrai pessoas que acreditam no que você faz e que vão colaborar na criação do serviço/produto com fotos. Negócio com essência requer autoconhecimento e responder uma pergunta tão simples e ao mesmo tempo tão difícil: por que é que eu fotografo mesmo? se você responder que é para eternizar momentos ou pagar as contas você está na área do “mais do mesmo” lá de cima no diagrama. Propósito não pode ser confundido com ego. Criar produtos e arte só com aquilo porque você quer. O risco de definir sua vocação com base nisso é de você virar um ego marketing onde a estrela é você, a divulgação é você e os clientes (pessoas) são coadjuvantes. No fim, essa essência deve ser o caminho para atrair pessoas que acreditam no que você crê para a sua fotografia e que elas possam fazer isso junto com você. Se reparar naquele case da fotografia que está bem pode notar que quase sempre ele age assim. Nesse caso existe uma proposta bem definida que coloca as pessoas como os grandes destaques. Você resolve o “problema” delas com as melhores fotos, álbuns e produtos e serviços que envolvam fotografia. Aí ela retorna, indica e colabora com o melhor marketing que existe: o boca a boca. Essa sim a melhor forma de começar as bases no verdadeiro fundamento do seu marketing.

Se você precisa entender o marketing temos duas sugestões:

De 1 a 3 de julho ocorre a segunda turma online do curso Marketing (é o) Básico. Inscreva-se aqui: MKT Básico

E no dia 26 de junho será lançado o livro “Marketing Básico para Fotógrafo”. Quem faz o curso online ganha o livro digital. Garanta o seu aqui: LIVRO.