Apoie a FHOX Impressa e garanta recompensas incríveis!


O poder de uma imagem

Quando olhamos para uma imagem, reagimos instintivamente a ela. São elementos que estão presentes e vão ao nosso subconsciente transmitindo informações que muitas vezes não sabemos descrever. Eles produzem emoções e sensações em questão de segundos, antes mesmo que possamos processar a imagem racionalmente.  Você pode estar se perguntando por que isso acontece. Para responder esta pergunta precisamos falar dos arquétipos.

Segundo o wikipedia Arquétipo é “ um conceito que representa o primeiro modelo de algo, protótipo, ou antigas impressões sobre algo.”

Seus estudos remetem a Platão, passando por vários filósofos e psicólogos até chegar a Carl Gustav Jung que fez uma ampla pesquisa descobrindo que certos símbolos mantêm o significado ao longo dos tempos. Segundo Jung os arquétipos “são uma espécie de imagem incrustada profundamente no inconsciente coletivo da humanidade, refletindo-se em diversos aspectos da vida humana, como sonhos e até mesmo narrativas”.

Dentre os arquétipos que agem mais fortemente no inconsciente das pessoas estão as formas geométricas pois possuem uma leitura rápida do nosso cérebro e estão presentes em tudo que observamos.

Por exemplo: 

Linha vertical – remete à força

Linha horizontal – estabilidade

Linha inclinada – dinamismo

Curva – linhas femininas, sensualidade, aconchego, aproximação

Você pode estar se perguntando o que isso tem a ver com fotografia. TUDO!!

Vou dar um exemplo: Imagine uma foto de uma paisagem em que o horizonte está perfeitamente na linha horizontal. Qual a sensação que esta imagem transmite? calma e estabilidade, não é mesmo? 

Por do sol na praia

Descrição gerada automaticamente

Agora imagine uma imagem onde temos uma linha inclinada. O que isso transmite? Dinamismo, correto? 

Ponte de pedra sobre a água

Descrição gerada automaticamente com confiança média
Fotos: Bruna Veratti

Tudo isso é interpretado pelo nosso cérebro em questões de segundos.

Além disso, precisamos lembrar que estas formas não estão presentes somente nos objetos, mas em nossos rostos e corpos também. Por isso nós transmitimos informações a nosso respeito sem nem abrirmos a boca. Pense no seguinte: quando alguém entra em um lugar e olhamos para ela pela primeira vez, nosso cérebro logo faz uma análise a seu respeito, baseada no formato do seu rosto, roupas que está vestindo, forma de se portar, etc. Longe de ser julgamento, isso é algo instintivo. É o famoso “a primeira impressão é que fica”. 

O que muitas vezes  acontece é a pessoa transmitir uma imagem no rosto, uma no cabelo e outra na roupa, cada uma passando uma informação diferente e ficamos com um enorme ponto de interrogação de quem realmente ela é. Você já deve ter visto alguma foto de uma pessoa que transmite força em suas feições, mas sua forma de se vestir transmite doçura e delicadeza. Nosso cérebro entra em conflito e não sabemos muito bem como interpretar aquela imagem. Por isso é importante termos consciência de quem somos e transmitir em nossa forma de se vestir e portar quem realmente somos. 

Pensando novamente em uma fotografia. Como podemos transmitir essas informações em um retrato? 

Quer transmitir força? Você pode usar roupas com linhas mais retas.

Mulher em pé com vestido

Descrição gerada automaticamente
Mulher com vestido branco

Descrição gerada automaticamente

Quer mostrar dinamismo? Use as linhas inclinadas na pose ou em elementos que apareçam na foto

Ao pensar em uma pose onde a mulher quer se sentir mais feminina, procure que seu corpo crie mais curvas e espaços entre seu corpo para valorizá-lo

Mulher com blusa preta

Descrição gerada automaticamente
Mulher em pé posando para foto

Descrição gerada automaticamente

Com estes conhecimentos em mãos podemos usar nosso poder da fotografia de forma que comunique de forma muito mais assertiva a essência da pessoa retratada.

Bruna Veratti é especialista em retratos femininos e de perfil profissional e consultora de imagem. Seu estúdio está localizado no Espaço Duas Marias, em São Paulo, um local destinado ao autoconhecimento da mulher. Considera sua vocação auxiliar as mulheres a se descobrir através das fotos e do autoconhecimento.

 Pessoa de camisa branca

Descrição gerada automaticamente com confiança média

Site: https://brunaveratti.com.br/

Instagram: @brunaverattifotografia