Mercado 4 semanas atrás | Leo Saldanha

Profissão de fotógrafo entra na lista dos 25 piores trabalhos nos Estados Unidos

Motivo? Estresse, baixa remuneração, disrupção tecnológica e instabilidade constante no trabalho

por Revista FHOX

O assunto foi matéria no jornal norte-americano The USA Today que possui uma das maiores audiências e presença nos Estados Unidos. A pesquisa com base em dados de 2018 e que reúne informações CareerCast (site de empregos daquele país) determinou com avaliação dos próprios profissionais das mais variadas áreas quais seriam os piores trabalhos. Levando em consideração questões importantes como: ambiente de trabalho, muita pressão e estresse, oportunidade de trabalho e possibilidades de ganhos. O relatório avaliou 200 profissões dos mais variados tipos para chegar nas 25 piores avaliadas. E infelizmente a ocupação de fotógrafo está na lista. Segundo a matéria da USA Today, o avanço da automação pode oferecer risco para a continuidade de diversas dessas ocupações da lista.

Ouça também sobre essa matéria no FHOXCast: Ser fotógrafo está entre as piores profissões nos EUA

A matéria mostra que fotógrafos norte-americanos faturam em média 34 mil dólares por ano. A categoria deve encolher em quase 6% até 2026. Nos Estados Unidos seriam quase 50 mil fotógrafos formais trabalhando com salário fixo. O estudo demonstra que os fotógrafos assalariados daquele país recebem um pouco abaixo da média nacional de U$ 37690. Enquanto a expectativa da taxa de emprego norte-americana é de crescimento de 7% até 2026, os profissionais de fotografia devem ver a queda no emprego da ordem de 5% para o mesmo período. O estudo diz que isso teria impacto de smartphones com câmeras cada vez mais avançadas e também por conta do acesso cada vez mais fácil da fotografia para quem não atua no meio. O que se espera é um crescimento de trabalhos freelas. Ou seja, fotógrafos atuando em serviços avulsos e esporádicos. O que na verdade sempre representou a maior parte dos “trabalhos fotográficos” tanto nos Estados Unidos quanto aqui no Brasil. Outras profissões que entraram na lista dos piores trabalhos nos EUA são: motoristas de caminhão, compradores, mecânico, trabalhador da construção civil, motorista de ônibus, chef, bombeiros, pintor, vendedor de publicidade, DJs, repórter (de jornal impresso), motorista de táxi e outros.

Leia também: FHOXCast em nova fase

Choque de realidade – existe vários pontos dessa pesquisa que chamam a atenção. Primeiro, ela foi feita com base em pesquisa com os próprios profissionais de vários mercados. Ou seja, representa uma visão de autoanálise sobre cada segmento. Segundo, profissões como vendedor, bombeiro e chef estão na lista. Na prática, não necessariamente o relatório diz que essas são profissões sem futuro. O que o estudo mostra na verdade é que são trabalhos “puxados” com muita pressão. Assim como a fotografia. Afinal, muitas vezes os fotógrafos atuam de fim de semana e em horários fora do padrão. A carga de trabalho de um fotógrafo aumentou muito com uma rotina que vai muito além do clique. Hoje, um fotógrafo passam de 70 a 80% do tempo fazendo outras coisas que nada tem relação com cliques. Desde questões como marketing, atendimento e outros. No fim está claro que é algo que envolve sim um perfil de vocação. Ou acaba só confirmando a velha máxima (ou jargão) de se fazer aquilo que se ama. Pois só assim para aguentar a pressão, a insegurança financeira e os desafios constantes (e tecnológicos) desse ofício. O que fica claro nesses dados divulgados é aquilo que muita gente esquece de dizer em palestras e afins: viver de ser fotógrafo nunca foi fácil e sempre deu muito trabalho.

Leia também: Movimento Imprimir 

Participe da primeira turma online da Escola de Negócios FHOX 

Se você tem uma matéria, um relato, uma coluna, um tutorial ou qualquer outro tipo de conteúdo e quer contribuir com o FHOX.com.br, nos envie! Nosso departamento de redação vai analisar e, se aprovado, será publicado e assinado por você, respeitando todas as regras do direito autoral. Colabore clicando aqui: Você na FHOX.