Mercado 3 anos atrás | Redação

Drones no Brasil: um mercado sem regras

Prometido pela Anac para as Olimpíadas, setor segue sem leis para atuação profissional no país

por Revista FHOX

drone-dji

Matéria no site Gizmodo Brasil mostra o atraso nas leis e na regulamentação desse mercado que não para de crescer no Brasil. O setor conta com três agências com alguma atuação no segmento: Anatel (radiofrequência), Decea (Departamento de Controle do Espaço Aéreo) e a Anac que cuida das questões dos pilotos e dispositivos. A Anatel trata os drones no mesmo bolo de celulares e a regra é quanto à homologação (dos produtos importados) e a operação dos aparelhos em frequências liberadas. Vale lembrar que a Anac fez uma consulta pública e que os próprios empresários desse mercado pressionaram a agência quanto a regulamentação. Eles enviaram uma carta aberta que contou com mais de mil assinaturas de profissionais desse ramo. A Anac respondeu ao site Gizmodo dizendo que a proposta de regras ficará para o final do segundo semestre desse ano. A notícia é importante pois a falta de uma legislação definitiva acaba travando investimentos, criação de escolas e inibe mais avanços. Acaba também estimulando a informalidade. Pior, pode causar prejuízos pela falta de seguros, pois sem regras acaba inibindo as seguradoras de fazer coberturas. Leia o ótimo post da Gizmodo aqui: Drones no Brasil.