News 3 meses atrás | Leo Saldanha

Marketing na fotografia: 10 ideias instigantes inspiradas nos conceitos de Seth Godin

A Escola de Negócios Fhox contextualizou para a fotografia os conceitos de um dos maiores especialistas de marketing do mundo

por Revista FHOX

O norte-americano Seth Godin é um respeitado especialista em marketing autor de inúmeros livros (best-sellers) sobre como atrair e manter clientes. Aqui separamos 10 ideias divulgadas ao longo da carreira e das publicações de Godin. Todos os conceitos abordados por ele mostram-se úteis de alguma forma para quem atua na fotografia. Inclusive a frase acima que abre esse post já deixa claro algo simples: você só vai aprender marketing da mesma forma como aprendeu fotografia. Ou seja, fazendo, errando e ajustando de acordo com as situações. O melhor então é colocar a mão na massa e testar, testar e sobretudo tentar. Mas antes veja o que Godin tem a dizer sobre conceitos do marketing.

1 – o custo de estar errado é menor do que não fazer nada. Aqui Godin expõe o mesmo conceito central sobre a importância de agir. Ter um plano é melhor do que nenhum. Logo você precisa fazer algo. Como começar? Coloque a mão na massa clicando aqui: um exercício de marketing para você!

2 – Não encontre clientes para seus produtos, encontre produtos para seus clientes. Nesse ponto Godin destaca o valor da personalização e para tanto você precisa ouvir os clientes. Criar algo que eles querem é mais poderoso e “vendedor” do que fazer só o que você quer. E sempre lembrando: você um prestador de serviço! Se quiser se aprofundar mais sobre isso clique aqui: personalização.

Leia também: A culpa não é do preço. /negocios/a-culpa-nao-e-do-preco/

3 – Em um mercado saturado tentar se encaixar leva ao fracasso. Em um mercado competitivo não se destacar é o mesmo que ficar invisível. Embora óbvio, quem vive da fotografia segue quase sempre fazendo mais do mesmo e igual aos concorrentes. Muitas vezes seguindo padrões estabelecidos em fórmulas prontas ou supostas “melhores práticas” que não necessariamente servem ao seu caso. Como sempre digo na Escola de Negócios Fhox. Você tem questões próprias do seu negócio que precisam de soluções únicas para o seu desafio. Pois o que funcionou para fulano não necessariamente vai funcionar para você!

Leia também: 10 razões para acreditar na fotografia.

4 – Marketing não é mais sobre as coisas que você faz, mas sim sobre as histórias que conta. O que ele diz é que ninguém mais suporta posts e divulgação com cara de anúncio. Então é melhor fazer um marketing que não parece marketing. E não existe melhor forma de fazer isso que usando suas fotos (e vídeos) para criar narrativas visuais atraentes e verdadeiras.

5 – Marketing de conteúdo é o último marketing que resta. O fato é quem vive da fotografia gera conteúdo sempre. Seja com as fotos, vídeos e afins de tudo o que você cria para seu trabalho. As histórias que você conta e as pessoas que atende são formas de você mostrar o que faz “e vender” seu negócio para novos clientes ou fazer com que eles retornem. A grande questão é o formato e a sua abordagem para promover seu negócio de fotografia.

Leia também: As 10 desculpas mais comuns dos fotógrafos./negocios/as-10-desculpas-mais-comuns-nos-problemas-com-marketing-na-fotografia/

6 – Marketing é uma competição pela atenção das pessoas. Sabemos muito bem disso. Na era da conexão em tempo real atenção é o novo dinheiro. Como você se posiciona para atrair a atenção? Conhece a regra AIDA? Atenção: chame a atenção, Interesse: gere interesse, Desejo: crie o desejo e finalmente estimule a Ação. Conseguir fisgar o olhar de alguém ficou muito mais difícil.

7 – Marketing é sobre espalhar ideias. E espalhar ideias é o ato mais importante da nossa civilização. Campanhas sociais, governos e as principais empresas do mundo usam esse poder de compartilhar ideias para conseguir influir na vida das pessoas. Quais ideias você quer espalhar com seu negócio de fotografia? E o que você tem para contribuir?

8 – ” Todo mundo” não é seu cliente. A importância de não achar que vai conseguir vender para seus seguidores (sejam eles mil ou 50 mil mil) e aqui a chamada é direta: quem você atende ou quer atender. Qual sua segmentação? Não, você não vai conseguir atingir e atender todo mundo. Por isso que vender em excesso pode até prejudicar sua marca.

9 – Toda interação de qualquer tipo é branding. Se tudo o que você faz, diz, posta e a forma como se posiciona são avaliados o tempo todo por possíveis clientes então sim, tudo o que fazemos é uma afirmação da nossa marca e envolve a identidade da sua marca (que é você!). Muito cuidado com o que você diz e como se porta. Isso vale para tudo que você faz.

10 – Marketing é o ato generoso de ajudar alguém a resolver um problema. O problema de cada um. Marketing não envolve “gritar”, se apressar ou coagir. É na verdade a chance de servir alguém de forma genuína. O que Godin indica aqui é que o ato de atrair e manter clientes tem o poder de ir além de gerar impacto. É que para tanto precisamos encarar o marketing como uma ferramenta de mudança de comportamento e impacto real. Por sinal isso é algo que ele aborda em seu livro mais recente: Isso é marketing.

Quer ajuda ou precisa de orientação? Então conheça a nova atividade da Escola de Negócios Fhox clicando aqui: R.U.M.O.

Foto: Tamara Minati