News 2 semanas atrás | Redação

Kodak e uma virada inesperada

Ações da Kodak valorizaram mais de 500% hoje devido ao anúncio de empréstimo do governo dos EUA para a que marca fabrique remédios

por Revista FHOX

A notícia está bombando em grupos de WhatsApp e em portais do mundo todo. A Kodak viu as ações subirem mais de 300% (em determinado momento superando 500% de valorização) só hoje nos Estados Unidos na bolsa de Nova York. A famosa marca reconhecida como ícone da fotografia vai receber um empréstimo de 765 milhões de dólares do governo norte-americano. Para que assim produza medicamentos nos Estados Unidos. O anúncio foi feito ontem (28) e é o primeiro empréstimo do governo Trump é sob a Lei da Produção da Defesa Nacional. A mesma legislação ajudou na produção de ventiladores para os pacientes da Covid-19. Com o empréstimo a Kodak vai produzir medicamentos para reduzir a dependência dos Estados Unidos perante outros países. Entre os remédios está a tão comentada hidroxicloroquina. O presidente Donald Trump comentou sobre o empréstimo e o pacto que ele chamou de histórico: “a ação de hoje é o nosso passo mais recente para criar o maior arsenal médico da História” disse.

Trump will hand over nearly $1 billion to Kodak to manufacture ...

Sem relação com a Kodak Alaris – Importante destacar que o empréstimo foi para a Eastman Kodak e não para a Kodak Alaris. E que o capital servirá para a criação da marca Kodak Pharmaceuticals. Segundo um documento do Development Finance Corporation (DFC), a nova divisão da Kodak produzirá componentes farmacêuticos que foram identificados como essenciais, mas que sofreram com a escassez nesta pandemia. Embora os americanos consumam aproximadamente 40% do suprimento mundial de componentes a granel usados ​​para produzir produtos farmacêuticos genéricos, apenas 10% desses materiais são fabricados nos Estados Unidos. Segundo o portal Investing, a Eastman Kodak terminou o primeiro trimestre com um prejuízo líquido de US$ 111 milhões, após anunciar uma receita de US$ 267 milhões. Ao The Wall Street Journal, o presidente da companhia, Jim Continenza, disse que o empréstimo deve ser pago em 25 anos e que a produção será vasta. Além disso, o objetivo é conseguir gerar 40% de receita com a nova linha de negócio. Em tempo: recentemente a notícia de que a Kodak Alaris vendeu a parte de produção de papel fotográfico, filme e químico para uma marca chinesa também esteve presente no noticiário.

Com informações do Estado de SP e Isto É Dinheiro.