Fotocabines 3 semanas atrás | Flávio A. Priori

Guilherme Marques, da Nakabine: construindo tudo do zero

Criando suas próprias cabines, empresário alcançou o sucesso focando na qualidade

por Revista FHOX

O sonho de muitos brasileiros é investir em um negócio próprio. Guilherme Marques, 37, e trabalhando a 12 anos como funcionário de empresa, era um desses, que almejava empreender. Tinha vários projetos na gaveta, estudava mercados, fazia os cálculos necessários, o essencial para quem quer abrir uma nova empresa. Foi quando conheceu as fotocabines e assim começou a surgir a Nakabine.

“Um dia eu e minha esposa, Juliana, fomos a um evento, e lá tinha uma cabine de fotos. Me encantei com o produto, porém fiquei muito decepcionado com o atendimento. Sai nesse dia, olhei para minha esposa e falei ‘você sabe o que eu estou pensando’ ela disse ‘sim’”. Foi assim que decidiram montar uma empresa de cabines. Isso foi no final de dezembro de 2013. Foram os primeiros passos da Nakabine.

Nakabine

Guilherme conta que o começo foi difícil. Ele ainda tinha que manter o emprego formal, pelo qual tinha que fazer viagens frequentes para outras cidades. Somando a isso um filho pequeno para cuidar, só conseguia estudar de madrugada.

O interessante aqui nessa história é que Guilherme resolveu construir sua própria cabine ao invés de comprar algum modelo pronto. Fez todo o desenho, comprou o material e começou a montagem na sala de sua casa, após chegar do trabalho. “Foi muito árduo, pois não tinha nenhum conhecimento a mais do que os meus estudos e algumas coisa foram feitas empiricamente. No dia 14 de fevereiro a cabine estava pronta e montada, na sala da minha casa”.

A opção por construir tudo do zero veio da análise do casal, ao perceberem que dificilmente encontravam o que queriam no mercado e, quando conseguiam, os preços eram exorbitantes. Além da qualidade de material, que nem sempre os agradava.

O empresário complementa, “Testamos demasiadamente em casa, e precisávamos de um evento para testar e ver na prática ela funcionando. Fizemos um aniversário no dia 24 de fevereiro de 2014 e tudo transcorreu bem!”. Foi quando perceberam que já estavam prontos para colocar o produto no mercado. O nome da empresa e os materiais impressos já estavam todos preparados.

Todo esse sucesso Guilherme divide com sua esposa, Juliana Pires Marques. “Ela é uma grande incentivadora. Muitas vezes vendia o equipamento sem mesmo termos e me avisava: ‘vc tem 30 dias para fabricar’ (risos)”.

Hoje a empresa atua com diversos públicos. “Como temos vários modelos de equipamentos, conseguimos atender desde festas pequenas até eventos corporativos e sociais com grande volume de pessoas. Atuamos em casamentos, formaturas, aniversários, eventos corporativos e sociais. Hoje nossa maior fatia ainda está nos eventos sociais, estamos trabalhando para ter maior presença nos eventos corporativos”.

Inovação e excelência

O espírito inovador esteve no nascimento da Nakabine e é algo que Guilherme mantém até hoje, se atualizando constantemente. “Sempre buscamos novas tecnologias, acompanhando grupos de discussões, trocando ideia com parceiros do mesmo segmento e fora dele. Mas uma coisa é certa, se não inovar ficamos para trás”.

“Temos uma meta pessoal, de no mínimo uma vez ao ano lançar algo novo. Começamos com cabine padrão, lançamos o totem, depois cabine luxo, totem espelhado, Bike Totem, instaprint, totem Vintage, Totem de móvel, Espelho Mágico, Totem selfie e Kombi de Fotos”, fala o empresário.

Sobre o mercado, a percepção é que a procura aumenta, o que implica em um aumento de oferta. Isso impacta diretamente nos preços cobrados, mas Guilherme enfatiza que isso não pode ser desculpa para derrubar valores. “Eu nunca mudei a visão com relação a respeito de preços, pois o nosso diferencial sempre foi atender bem e com soluções de qualidade. Com o aumento de “concorrentes” estes entrantes tendem a cada vez mais baixar os valores cobrados e sim, isso dificulta de certa forma o mercado!”.

Cabine Photoshow

Guilherme Marques estará dia 30 de julho no Cabine Photoshow com a palestra “O impacto da tecnologia no futuro da fotocabine”. Ele ressalta que é importante mostrar para quem está começando que é preciso reforçar na qualidade do serviço e não fazer competição somente jogando os preços para baixo. “Prezamos pela qualidade do trabalho, por isso eles não tem preço e sim valor. Se o cliente enxergar isso irá nos contratar. Hoje temos o maior valor da região, desde que começamos até hoje não baixamos os nosso preços. Todos estes anos com uma média de eventos anuais maior que 200 eventos”

O proprietário da Nakabines conclui: ‘O que eu espero é que as empresas entrantes possam estar melhor qualificadas, para que possamos elevar a qualidade dos trabalhos e com isso manter ou melhorar os valores cobrados! Expectativa que tenhamos melhores “concorrentes” alavancando a qualidade do mercado”.

 

Nos dias 30 e 31 de julho acontece em São Paulo o Cabine PhotoShow 2019, evento voltado para fotocabines e fotografia de eventos. Confira mais clicando aqui!